ÁSIA: As bolsas japonesas iniciaram o novo ano de forma acentuadamente otimista na quarta-feira, em meio a uma perspectiva robusta para a economia dos EUA e Europa, além de um sinal positivo para as indústrias japonesa, além das expectativas da contínua fraqueza do iene. O Nikkei Stock Average fechou em alta de 2,5% para uma alta de 13 meses,  na retomada das negociações depois de um feriado de final de semana de quatro dias, ajudado por ganhos de ações financeiras e de exportação. O índice PMI de manufatura do Japão, que mede a atividade industrial do país, subiu para 52,4 em dezembro ante 51,3 em novembro, a melhor leitura desde dezembro de 2015.

Os ganhos no Japão levantou outros mercados asiáticos a avançarem. Straits Times Index de Cingapura subiu 0,77% e o FTSE Bursa da Malásia fechou em alta de 0,73%.

Na Austrália S & P / ASX 200 avançou 0,06% após oscilar entre o positivo e o negativo. Uma ligeira queda no preço do minério de ferro pesou sobre a Rio Tinto, que caiu 0,9%, enquanto a BHP Billiton e a Fortescue Metals encontraram suporte de compra, fechando em alta de 0,6 e 1,7%, respectivamente.

Na China, as bolsas chinesas fecharam em alta, em meio a mais recente notícia de regulação por parte do Banco Popular da China que deverá acompanhar as transações financeiras suspeitas e as de grande monta nas instituições financeiras, que entrará em vigor a partir de julho com uma recente série de controle sobre capital e consequentemente sobre as saídas do yuan. O Shanghai Composite fechou em alta de 0,76%, enquanto o Shenzhen Composite fechou 1,15% maior. Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,06%, pesada por ações de jogos. O movimento deverá pesar sobre o setor de jogos de Macau.

EUROPA: As bolsas da Europa tentam-se esforçar para empurrar os mercados para cima, com papeis de bancos bancos subindo, mas grandes varejistas limitam os ganhos.
O Stoxx Europe 600 cai 005% depois de fechar no nível mais alto desde dezembro de 2015 na terça-feira. O benchmark também conseguiu entrar em “bull market”, definido com um rali de mais de 20% em relação à mínima recente.

Em uma nota mais otimista, as ações do Credit Suisse sobe 3,5% após Barclays elevar o banco de equalweight para overweight. Barclays também elevou os preços-alvo do grupo UBS (+1,92%) e Deutsche Bank (1,71%).

Entre os dados econômicos, a economia da zona do euro expandiu-se em seu ritmo mais rápido desde maio de 2011, de acordo com o índice PMI composto final para dezembro. O índice em dezembro subiu para 54,4, ante 53,9 em novembro, chegando à leitura mais alta do que a estimativa de 53,9 do flash PMI.Os preços no consumidor da zona do euro subiram à taxa anual mais rápida em mais de três anos no mês de dezembro, após medidas encorajadoras por parte de líderes políticos do Banco Central Europeu que lançaram uma série de programas de estímulo desde meados de 2014, no entanto, o aumento da inflação foi em grande parte devido ao aumento das tarifas de energia. A agência de estatísticas da União Europeia informou que a inflação na zona do euro foi 1,1% maior em dezembro do que no ano anterior, um aumento de 0,6% na taxa anual em novembro, atingindo seu maior nível desde setembro de 2013. A confiança do consumidor na França ficou estável em dezembro, assim como as expectativas dos analistas.​

No Reino Unido, o FTSE 100 opera entre pequenas altas e baixa, com o varejista de moda Next liderando a queda após uma decepcionante atualização comercial, alertando para um 2017 desafiador com o Brexit se aproximando. A queda no benchmark ocorre depois de fechar em um novo recorde pela quarta sessão consecutiva na terça-feira.

O anúncio da Next pesaram sobre outros varejistas do Reino Unido. Marks & Spencer Group cai 4,73% e Kingfisher recua 0,8%. Entre ações ligadas às commodities, Royal Dutch Shell cai 0,06% e BP recua 0,16% após rali no pregão anterior. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 0,2%, mas Antofagasta e BHP Billiton cai 0,04%. Glencore recua 0,8% e Rio Tinto recua 0,5%

ÍNDICES FUTUROS – 8h40:
Dow: +0,14%
SP500: +0,16%
NASDAQ: +0,15%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

Bolsas Europeias Registram Ligeiras Perdas após Entrar em Bull Market