ÁSIA: A maioria dos principais mercados asiáticos reverteu perdas anteriores, enquanto os preços do petróleopermaneceram sobre pressão com o dólar dos EUA mais forte espremendo a demanda, tornando mais caro para os detentores de outras moedas, para comprar​ a commodity nominada em dólares​. Além disso, dados revelaram um estoque maior de gasolina e petróleo bruto dos EUA. ​

A American Petroleum Institute (API) estima que os estoques de petróleo bruto dos EUA subiram 14,2 milhões de barris na semana passada. ​Além disso, a demanda de petróleo na China estagnou. ​​

No Japão, o Nikkei fechou em alta de 0,51%, refazendo as perdas anteriores. O iene foi negociado a 112,28 em relação ao dólar, mas mais forte do que níveis acima de 113,4 alcançado na semana passada. A maioria dos exportadores japoneses terminou a sessão em alta. Fujitsu caiu 3,81% após a Reuters relatar que o maior acionista do conglomerado eletrônico, a Fuji Electric planeja vender cerca de US$ 1 bilhão em ações da Fujitsu, ou cerca de 8,2% da participação da empresa.

Do outro lado do Estreito Coreano, o Kospi fechou em baixa de 0,49%. Hanjin Shipping, a sétima maior transportadora do mundo caiu 17,98% e teve sua negociação suspensa após ter sua liquidação oficial marcada para 17 de fevereiro. Um tribunal de Seul deu aos credores duas semanas para apresentar eventuais recursos, mas provavelmente não haverá nenhum apelo, pois o principal credor da empresa, o Korea Development Bank, solicitou a falência da Hanjin em agosto passado.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,66%, enquanto as ações da China continental registraram ganhos. O Shanghai Composite ganhou 0,46% e o Shenzhen Composite adicionou 0,75%. O sentimento dos investidores do continente foi parcialmente prejudicado por dados que mostram que as reservas de divisas do país caíram abaixo de US$ 3 trilhões pela primeira vez em seis anos. Mais cedo no dia, o Banco Popular da China estabeleceu o yuan 0,4% mais fraco em relação ao dólar dos EUA, em um movimento que também afetou o interesse de compra.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em alta de 0,52%, mas o setor de energia declinou 0,96%. Players de petróleo do país terminaram em baixa. Santos perdeu 1,29%, Oil Search recuou 1,01% e Beach Energy recuou 2,65%. Enquanto isso, BHP Billiton caiu 0,85%, depois de relatos de que a mineradora planeja para suspender a produção em uma mina de cobre chileno devido a uma greve dos trabalhadores na quinta-feira. A Reuters informou que a BHP não pode garantir a segurança dos 80 trabalhadores que o governo chileno autorizou a permanecer na mina de Escondida para realizar “tarefas críticas”, como manutenção de equipamentos e aderência aos protocolos ambientais. Entre outras mineradoras, Fortescue fechou em alta de 0,1% e Rio Tinto (LON:RIO) subiu 0,9%.​

Entre outros players de petróleo da Ásia, Inpex de Japão caiu 1,12%. Em Hong Kong, CNOOC caiu 1,24%, Petrochina recuou 0,17% e Sinopec reverteu as perdas de mais de 0,3%, para fechar em alta de 0,33%.

EUROPA: As bolsas da Europa se esforçam para definir uma direção nesta manhã de quarta-feira como a temporada de resultados continuando no foco dos investidores, mas as incertezas políticas na Europa e na América continuam a dominar os mercados fazendo com que os investidores busquem refúgio no ouro e coloca pressão no euro. ​O pan-europeu Stoxx 600 abriu em alta de 0,4%, com destaque para o setor de recursos básicos que claramente ultrapassam seus pares.

Rio Tinto informou lucro de US$ 4,62 bilhões, graças a uma recuperação das commodities durante o ano. Suas ações sobem cerca de 3% no início do pregão, enquanto a norueguesa Storebrand alcança o topo do referencial europeu, subindo mais de 6% depois de divulgar seu primeiro dividendos em seis anos. Por outro lado, Moller-Maersky figura no fundo do benchmark, com uma queda de quase 6%, depois de cortar seus dividendos e apresentar perdas maiores do que o esperado. A empresa de cuidados à saúde Sanofi (PA:SASY) disse que seu lucro líquido no quarto trimestre mais que dobrou graças a redução dos custos de amortização e reestruturação, porém destacou um 2017 fraco à frente e suas ações caem 3%.

No Reino Unido, o FTSE 100 opera em baixa e segue no caminho para uma queda semanal de 0,3%. Setor de mineração ajuda a diminuir o prejuízo no benchmark de Londres. Rio Tinto figura entre os maiores ganhadores do FTSE 100 após anunciar que o lucro retornou em 2016 e anunciar dividendo de US$ 1,70 por ação, abaixo de um ano atrás, mas maior do que as expectativas. Outras mineradoras também ganham terreno. Anglo American (LON:AAL) sobe 2,51%, Antofagasta (LON:ANTO) sobe 3,11% e Glencore (LON:GLEN) avança 2,04%.

AGENDA DO INVESTIDOR: EUA
13h30 – Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);​
​16h01 – 10-y Note Auction (leilão de títulos de 10 anos do governo americano);​

ÍNDICES FUTUROS – 7h10:
Dow: +0,08%
SP500: -0,01%
NASDAQ: +0,10%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

 Via HARAMOTO
Commodities São Destaque nas Bolsas: Petróleo Cai, mas Mineradoras Sobem