ÁSIA: As bolsas asiáticas mergulharam no vermelho, após nervosismo com o resultado da eleição presidencial americana.

No Japão, o Nikkei despencou 5,36%, com investidores comprando iene, considerado uma moeda porto seguro, em meio ao nervosismo com a possível vitória de Trump. O par dólar / iene foi negociado a 102,65, após chegar a subir para 105,46 anteriormente. O iene chegou a buscar os 101,15 na sessão de quarta-feira.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em queda de 1,93%. O índice inicialmente chegou a subir 0,8% na abertura, antes da divulgação das projeções. O índice de referência registrou grandes perdas em todos os subíndices, com exceção do ouro que disparou 9,61%. Foi também um dia histórico para a bolsa de valores da Austrália, que viu um recorde de 1,71 milhões em negócios na quarta-feira. O recorde anterior era de 1.530.000 de 24 de junho, ocasião do anúncio do resultado do referendo no Reino Unido. Entre as gigantes de mineração, BHP Billiton e Rio Tinto recuaram 3,3 e 2,2%, respectivamente.

Na Coreia do Sul, o Kospi terminou em baixa de 2,25%, enquanto em Hong Kong, o Hang Seng caiu 2,16%.

As bolsas chinesas fecharam moderadamente mais baixo em comparação com o resto da região. O Shanghai Composite fechou em baixa de 0,61% e o Shenzhen Composite fechou 0,57% menor.

O ouro spot fechou em alta de 3,16%, em US $ 1.316 a onça após três dias seguidos de perdas, enquanto o petróleo recuou durante comércio asiático de quarta-feira. A vitória de Trump terá consequências negativas sobre o preço do petróleo. Além disso, os preços do petróleo caíram depois que o Instituto Americano de Petróleo informou que os estoques de petróleo bruto aumentaram 4,4 milhões de barris nos EUA, em comparação com estimativa de 1,3 milhões de alta.

Entre outras notícias, o Banco da Tailândia manteve a sua taxa de referência inalterada em 1,5%. Enquanto isso, a taxa de inflação ao consumidor da China em outubro subiu 2,1% ano a ano, enquanto os preços ao produtor subiram 1,2% em relação ao ano anterior, o maior em quase cinco anos.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em baixa nesta quarta-feira depois que o candidato republicano Donald Trump ganhou a eleição presidencial dos EUA, provocando nervosismo nos mercados financeiros mundiais. O Stoxx Europe 600 desliza 0,74% e segue a caminho de quebrar uma série de dois dias de alta, após avançar firme no início da semana, com os investidores apostando em uma vitória da candidata democrata Hillary Clinton,  no entanto na manhã desta quarta-feira, Trump emergiu como vencedor depois de garantir maioria em vários estados decisivos, incluindo Ohio, Flórida e Carolina do Norte.

O resultado da eleição provocou uma fuga para ativos de refúgio, incluindo ouro e metais preciosos. O ouro para entrega em dezembro sobe 1,91%. Entre as mineradoras de metais preciosos, Fresnillo dispara 8,81% para o topo do Stoxx 600, enquanto Randgold Resources avança 6,27%. Stocks de autos e bancos seguem em queda, caindo mais de 3%. O setor de saúde avança na sequência da notícia de que Donald Trump vai ser o próximo presidente dos Estados Unidos, pois de acordo com Liberum, a vitória de Trump apoia o setor farmacêutico, dado que as reformas de preços de medicamentos, proposta por Hillary Clinton não deve se materializar. As ações da Novo Nordisk sobem mais de 6%.

Entre as ações em queda, a fabricante de turbinas eólicas Vestas Wind Systems despenca 7,20% pois a vitória de Trump é visto com cortes em subsídios para a energia verde.

No Reino Unido, o FTSE cai, mas a queda do índice de referência não é tão profunda como o prevista, sendo parcialmente sustentadas pelas mineradoras listadas na LSE. Anglo American sobe 1,9%, Antofagasta avança 5%, Glencore sobe 4,3%, BHP Billiton sobe 1,9% e Rio Tinto avança 3%.

EUA: Futuros dos EUA se preparam para um banho de sangue na sessão de quarta-feira, após o candidato republicano Donald Trump surpreendentemente vencer a corrida presidencial nos EUA e se tornar o quadragésimo quinto presidente dos EUA, pois os mercados haviam apostado em uma vitória de Hillary para Casa Branca, considerada a melhor escolha para os mercados financeiros a curto prazo, porque ela era vista como representante menos incógnita e ser mais abertos ao comércio internacional do que seu rival. Os futuros do Índice CBOE Volatility VIX chegaram a disparar 20%. A queda nos futuros de ações levanta a possibilidade do chamado “circuit breakers” quando os mercados abrirem. Se o S & P 500 cai 7% em relação à  sessão anterior, a negociação em todos os mercados de ações interrompe por 15 minutos.

O peso mexicano caiu para as mínimas históricas, chegando a perder 13% frente ao dólar a 20,30 pesos. Foi a maior queda diária da moeda desde a chamada Crise Tequila, de acordo com o Financial Times. O índice ICE Dollar US, um índice que mede o desempenho do dólar contra uma cesta de seis rivais cai 1,3% em 96,587. O dólar também cai pelo fato de que a vitória Trump irá manter a alta das taxas de juros em dezembro pelo Federal Reserve.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
13h30 – Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);
16h01 – 10-y Bond Auction (leilão de títulos de 10 anos do governo americano);

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:

Dow:  -1,51%
SP500:  -1,62%
NASDAQ:  -2,04%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – QUARTA-FEIRA 09/11/2016