ÁSIA: O macaco jogou os principais mercados asiáticos para baixo na primeira semana de seu reinado do Ano Novo Lunar.

O sharemarket australiano mergulhou para o “bear market” pelo segundo dia de vendas alimentada pela negatividade dos bancos (apesar de um lucro sólido do Commonwealth Bank), quedas dos setores de energia e recursos naturais. O S & P / ASX 200 perdeu o suporte dos 4800 pontos, ao fechar em 4706,7 pontos, caindo 1,2%. Entre as mineradoras, BHP Billiton caiu 2,5% para US $ 15,65, enquanto Rio Tinto recuou  1,2% para US $ 41,51.

No Japão, o Nikkei caiu 2,31%, em 15,713.39 pontos, após um declínio de 5,4% na terça-feira, sua maior perda percentual diário desde junho de 2013. O índice fechou no vermelho em seis das últimas sete sessões e está 24,70% abaixo da alta de junho 2015. O iene japonês, que é visto como um investimento “porto seguro” em épocas de volatilidade, continuou a se fortalecer com o dólar buscando ¥ 114,63, seu nível mais baixo desde novembro de 2014. O iene é uma moeda de financiamento e a força da sua moeda aumenta os custos significativamente para o Japão, ou seja, um iene mais forte prejudica a rentabilidade das empresas japonesas, que por sua vez prejudica a economia do país. Os principais exportadores como Toyota, Nissan, Honda e Sony terminaram em baixa entre 0,44 e 1,99%.

O índice Straits Times de Singapura, que retomou a negociação depois de ficar fechado na segunda e terça-feira para os feriados do Ano Novo Lunar dando início ao Ano do Macaco, fechou em baixa de 2%. Na Malásia, o KLCI caiu 0,73%, enquanto Jakarta Composite da Indonésia caiu 0,69%.

Muitos investidores dizem mercados asiáticos continuam a vender. em parte, devido às preocupações de que os bancos centrais globais estão ficando sem opções para apoiar o crescimento que se mantém insistentemente fraco, apesar de vários anos de afrouxamento de políticas monetárias. As posições políticas frouxas são uma bênção para os mercados de ações e de commodities em todo o mundo, mas alguns analistas estão preocupados com o aperto do Federal Reserve dos EUA que poderiam marcar o início de uma reversão.

O Banco do Japão adotou uma política de taxa de juro negativa em janeiro impulsionando a atividade econômica e inflação, mas o movimento está agora levantando preocupações sobre a rentabilidade dos bancos em um ambiente de crescimento lento.

As bolsas de Hong Kong e Coreia do Sul retornam as negociações na quinta-feira e nos mercados do continente e Taiwan permanecerá fechada durante a semana.

EUROPA: As bolsas europeias recuperam de uma baixa de dois anos nesta quarta-feira, apesar dos investidores estarem aguardando o testemunho de Yellen perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara. O índice Stoxx Europe 600 sobe 2,40%, depois de fechar no nível mais baixo desde outubro 2013 na terça-feira, coroando uma série de quedas alimentadas por preocupações com preços do petróleo e desaceleração do crescimento global.

Os bancos respiram aliviados, após serem fortemente espancados nas sessões anteriores. Deutsche Bank salta 12,97% após notícia de que o banco alemão está considerando recomprar milhões de euros de suas obrigações. Eurobank Ergasias sobe 7,62%, UniCredit dispara 10,32%, Commerzbank avança 7,77% e UBS Group sobe 6,12%.

No Reino Unido, o FTSE 100 sobe após levar outra surra na segunda-feira, em seu menor fechamento desde 20 de janeiro, com receio de crescimento econômico global mais lento e temores contínuos nos mercados de petróleo. O índice terminou a semana passada com baixa de 3,9%, seu maior deslize semanal desde o início de janeiro, depois de um relatório misto de empregos dos EUA, nervosismo no mercado de petróleo e um relatório trimestral dovish sobre a inflação do Banco da Inglaterra.

O petróleo também permanece em foco depois que os preços subiram no comércio asiático, após boatos de que o Irã estaria disposto a negociar com a Arábia Saudita sobre as condições do mercado de petróleo. Ambos, Brent e WTI seguem negociados em alta. As ações da Royal Dutch Shell avançam 1,61%, BG Group sobe 1,07%, mas BP cai 0,13%.

Entre as mineradoras, BHP Billiton cai 0,83 e Rio Tinto avança 1,06% em Londres.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
13h00 – Testemunho da Presidente do FED Janet Yellen no Congresso dos EUA;
13h30 – Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);
17h00 – Federal Budget Balance (orçamento federal dos Estados Unidos);

ÍNDICES MUNDIAIS – 10h30:

ÁSIA
Nikkei: -2,31%
Austrália: -1,17%
Shanghai: —%
Hong Kong: +0,55%

EUROPA
Frankfurt – Dax: +2,45%
London – FTSE: +1,11%
Paris CAC: +2,41%
IBEX 35: +3,42%
FTSE MIB: +5,03%

COMMODITIES
BRENT: +0,47%
WTI: +0,53%
OURO: -1,25%
COBRE: -0,32%
SOJA: +0,12%
ALGODÃO -0,10%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +0,87%
SP500: +1,10%
NASDAQ: +1,52%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

Por: HARAMOTO