ÁSIA: A maior parte dos mercados na Ásia recuou nesta quarta-feira, seguindo as perdas americanas sob a égide das incertezas sobre os próximos movimentos dos bancos centrais, estimulando o nervosismo entre os investidores.

No Japão, o Nikkei 225 fechou em queda de 0,69%, a 16.614,24 pontos, enquanto o Topix caiu 0,62%. O iene japonês foi negociado a 103,29 contra o dólar, com a moeda japonesa voltando de uma sessão anterior de 102,40, na sequência da alta dos rendimentos dos títulos do tesouro dos EUA, sugerindo um aumento nos rendimentos japoneses no curto prazo em benefício ao iene. O rendimento do título do governo japonês de 10 anos estava em -0,015%, acima dos níveis de -0,04% da semana passada. Os preços dos títulos movem inversamente aos rendimentos. Um relatório de um diário japonês sugeriu que o BOJ poderia aprofundar ainda mais a sua política de taxa de juro negativa na próxima reunião de política de dois dias que começa em 20 de setembro. Ações do setor bancário japonês ficaram sob pressão na sequência do relatório.

Na Austrália, o ASX 200 subiu 0,38%, em 5.227,70 pontos, apeasr dos setores da energia e materiais fecharem em queda de 1,44 e 0,61%, respectivamente. Santos despencou 5,65%, Oil Search recuou 0,93% e Woodside Petroleum perdeu 0,735, enquanto as mineradoras australianas também tiveram vendas. Rio Tinto seguiu em baixa de 1,33%, Fortescue caiu 1,69%o e BHP Billiton fechou em queda de 1%.

No continente, o Shanghai Composite fechou em baixa de 0,69%, em 3.002,67 pontos e o Shenzhen Composto recuou 0,45%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,11%. Os principais índices em Singapura, Malásia, Filipinas e Indonésia também recuaram, enquanto mercados sul-coreano ficaram fechados por conta de feriado público.

Durante o horário asiático, os futuros do petróleo se recuperaram modestamente, após uma queda de 3% durante o horário americano, quando o American Petroleum Institute mostrou um estoque de petróleo bruto menor do que o esperado na semana encerrada em 9 de Setembro. O petróleo já tinha levado outra pancada na terça-feira quando a Agência Internacional de Energia (AIE) advertiu em sua mais recente atualização dizendo que os preços podem demorar mais tempo para se reequilíbrar, citando uma desaceleração mais rápida do que o esperado na demanda global de petróleo e com as observações da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) do início desta semana de que as decisões de bancos centrais importantes, como os dos EUA no final deste mês, que será crucial para determinar o crescimento global e a saúde geral do setor de energia. Se o Federal Reserve dos EUA aumentar as taxas de juros, é provável que fortaleça o dólar, o que tornaria os preços do petróleo nominados em dólar mais caro para os compradores de outras moedas. Isso poderia, por sua vez, dificultar a procura e o consumo global.

EUROPA:  As bolsas europeias abriram em alta, contrariando a tendência negativa visto na Ásia, ignorando as incertezas frente às decisões de diversos bancos centrais e seguem a caminho de quebrar a sua mais longa série de quedas em cerca de um mês. O Stoxx Europe 600 sobe 0,33%, após cair 1% na terça-feira. Uma vitória hoje será a sua primeira em quatro sessões.

A produção industrial da Zona Euro caiu 1,1% em julho ante junho, com as maiores quedas provenientes dos fabricantes de bens de capital. O euro sobe 0,0802% frente ao dólar e é negociado a US $ 1,1219, ante US $ 1,1209 na terça-feira em Nova York.

No Reino Unido, o FTSE 100 avança, de olho no seu primeiro aumento em quatro sessões. Mineração, serviços ao consumidor e ações de indústrias são destaques de alta, mas as de energia, bens de consumo e tecnologia estavam no vermelho.

O número de desempregados no Reino Unido caiu em 39.000 nos três meses até julho, puxando a taxa de desemprego para 4,9% ante 5% no trimestre anterior. É o menor nível desde o terceiro trimestre de 2005,  um sinal de que o mercado de trabalho britânico aguentou bem os efeitos da votação do Brexit em Junho. O número de pessoas com emprego subiu para um recorde de 31,8 milhões. Uma recente série de dados sugere que a produção industrial recuperou em agosto depois de tropeçar brevemente em julho.

O Banco da Inglaterra deverá manter sua taxa básica de juros estável na quinta-feira, após cortá-lo para uma nova baixa no mês passado. O banco central lançou um pacote de medidas de estímulo para proteger a economia e os mercados financeiros após o Brexit. Autoridades do BoE e muitos economistas expressaram cautela sobre a perspectiva da economia apesar dos dados recentes. Alguns esperam que a contratação abrande nos próximos meses, já que existem incertezas em torno dos futuros acordos comerciais do Reino Unido, pesando sobre o investimento empresarial. O aumento do desemprego provavelmente teria um impacto adverso sobre os gastos dos consumidores, um motor essencial para a economia britânica, comprimindo suas perspectivas de crescimento.

Entre os bancos, HSBC sobe 0.59%. A avaliação do HSBC foi rebaixado de comprar para neutro pelo UBS, após registrar um recente rali que adicionou $ 25 bilhões ao banco. A libra sobe 0,0682% frente o dólar e é negociado a US $ 1,3197 ante US $ 1,3184 na terça-feira em Nova York. Entre as mineradoras, Anglo American sobe 3,9%,
Antofagasta avança 3,3% e Glencore adiciona 4,7%. Entre as gigantes da mineração, BHP Billiton sobe 2,9% e Rio Tinto opera em alta de 2,6% em Londres.

EUA: Wall Street deve recuperar ligeiramente do sell-off da sessão anterior, seguindo a recuperação dos preços do petróleo, ajudando a enviar futuros dos EUA para cima. Todos os três benchmarks na terça-feira sofreu grandes perdas, com uma queda acentuada nos preços da energia e incerteza sobre os planos sobre a política monetária do Fed.

Nesta quarta-feira, os futuros do petróleo se recuperaram, com investidores aguardando a divulgação oficial da Energy Information Administration de seus dados semanais oficiais, cuja previsão deve mostrar uma recuperação nos estoques de petróleo.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
9h30 – Import Prices (preços de bens importados, excluindo petróleo);
11h30 – Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:

Dow: 0,22%
SP500: 0,26%
NASDAQ: 0,30%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – QUARTA-FEIRA 14/09/2016