ÁSIA: A maioria dos mercados asiáticos fechou em baixa nesta quarta-feira, pesada por uma combinação de fatores que mantiveram os investidores nervosos, incluindo a queda dos preços do petróleo, desconfiança na capacidade dos bancos centrais para estimular o crescimento, dados econômicos fracos e novas preocupações com o renminbi da China.

No Japão, o Nikkei caiu 0,85%. Destaque negativo para bancos enquanto o iene japonês subiu 0,2% para ¥ 111,87 o dólar americano, com a sua força prejudicando a competitividade dos exportadores locais.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 prolongou a queda de terça-feira e encerrou 2,10%, em 4,875.01 pontos, com a maioria dos setores fechando no vermelho. O setor financeiro caiu 2,54%, energia perdeu 3,44% e o setor de recursos naturais recuou 3,62%.

A mineradora BHP Billiton sofreu seu pior dia desde 2008 com uma queda de 8,2%, depois de um rali impressionante catapultou as ações para uma alta de 25% nas últimas três semanas, mas mesmo assim ainda estão 15% menor neste mês. Rio Tinto caiu 2,4% e Fortescue Metals caiu 4,7% depois de postar uma pequena queda no lucro líquido para US $ 319 milhões, abaixo dos US $ 331 milhões no ano anterior.

Na China, o Shanghai Composite mais uma vez contrariou a tendência regional e ganhou 0,9%, para 2,929.56, mas em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 1,15%. O PBoC, o Banco Central da China, que permite que o yuan aumente ou baixe a taxa local em no máximo 2% em relação ao dólar, fixou o ponto médio yuan em 6,5302 por dólar.

No comércio asiático, os futuros do petróleo recuaram, prejudicando o setor de energia na região. Na Austrália, Santos caiu 6,57%, Woodside Petroleum recuou 2,6%. No Japão, Inpex caiu 1,31, mas Fuji Oil subiu 0,36%. A maioria dos stocks do continente terminou em alta. China Oilfield ganhou 1%.

Começa na sexta-feira, o encontro de dois dias entre ministros de finanças e presidentes dos bancos centrais dos países do G20 em Xangai numa tentativa de lidar com as crescentes preocupações sobre o crescimento global.

EUROPA: As bolsas europeias seguem a baixa dos pares asiáticos, após a breve recuperação dos preços do petróleo perder força com os comentários do ministro do petróleo da Arábia Saudita na conferência CERAWeek em Houston entre outros de que os cortes de produção não acontecerão porque muitos países vão entregar o que quiserem, mesmo se eles concordarem em reduzir a produção e assim sendo, não há sentido em perder tempo discutindo um corte na produção.

O pan-europeu Stoxx 600 abriu em queda, após o índice recuar 1,2% na terça-feira, com todos os setores no vermelho e com as bolsas dos EUA registrando as piores perdas na semana.  Destaque para o setor de petróleo e gás. As ações da Total cai 3,57% na França, enquanto norueguesa Statoil recua 4,90%.

No  Reino Unido, o FTSE 100 cai e segue em direção da segunda queda consecutiva, liderado por perdas nas ações de mineração e petróleo e gás, que compõem cerca de um quinto do índice. BP recua 2,42% e Royal Dutch Shell perde 2.99% em Londres.

As empresas mineradoras sentem a derrocada após o Citi reduzir sua recomendação para o setor de mineração na Europa de “bullish” para neutro em uma nota à seus clientes nesta quarta-feira. Eles mantém recomendação neutra para Rio Tinto e vender na Anglo American, após recentemente cortar BHP Billiton para neutro. Glencore é a única mineradora com recomendação de comprar pelo Citi. BHP Billiton despenca 7,11%, após decisão anunciada na terça-feira de cortar seu dividendo em 74%. A rival Rio Tinto cai 3,85% e Glencore recua 6,55%.

A libra cai 0,6418% frente o dólar, sendo negociado a US $ 1,3973 ante US $ 1,4022 na terça-feira, com o sentimento de que os eleitores do Reino Unido apoiarão a saída do país da União Europeia.

Na França, a confiança do consumidor francês em fevereiro caiu inesperadamente para 95 ante 97 de janeiro. Em dezembro, o índice foi de 96 em dezembro. Economistas esperavam que o indicador de confiança dos consumidores permanecesse em 97 de fevereiro. CAC 40 cai.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h45 – Flash Services PMI (estimativa inicial do Índice PMI, fornecendo indicadores precedentes para dados finais do PMI de Serviços);
12h00 – New Home Sales de julho (número de casas novas com compromisso de venda);
12h30 – Crude Oil Inventories (relatório sobre o nível das reservas americanas de petróleo);

ÍNDICES MUNDIAIS – 7h10:

ÁSIA
Nikkei: -0,85%
Austrália: -2,10%
Shanghai: +0,90%
Hong Kong: -1,15%

EUROPA
Frankfurt – Dax: -1,72%
London – FTSE: -1,26%
Paris CAC: -1,39%
IBEX 35: -2,05%
FTSE MIB: -1,20%

COMMODITIES
BRENT: -2,03%
WTI: -1,45%
OURO: +0,65%
COBRE: -1,47%
SOJA: -0,17%
ALGODÃO -0,29%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,46%
SP500: -0,47%
NASDAQ: -0,68%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

Por HARAMOTO