ÁSIA:  Mercados da Ásia terminaram sem direção nesta quarta-feira, arrastados por preços do petróleo mais fracos e nervosismo com a saúde dos bancos japoneses em meio a um iene relativamente mais forte.

No mercado de renda fixa, a maioria dos rendimentos de títulos de governo da Ásia-Pacífico caíram na quarta-feira, seguindo o exemplo dos títulos do tesouro dos Estados Unidos, com preocupações sobre Deutsche Bank alimentando a demanda por ativos portos seguros. O rendimento dos títulos de 10 anos do governo japonês  caiu para -0,090%, o mais baixo desde 24 de agosto.

O Nikkei 225 fechou em queda de 1,31%, enquanto o Topix  deslizou 1,37%. O iene se fortaleceu frente ao dólar e atingiu 100,23, ante 100,91 na terça-feira, derrubando papeis de empresas de exportação. Um iene mais forte é um negativo para os exportadores  pois diminui seus lucros no exterior quando convertidos em moeda local.

Ações de bancos japoneses recuaram bruscamente, após um bom rali na semana passada, com a ideia de que o Banco do Japão estava repensando nas taxas negativas, em parte devido ao seu efeito corrosivo sobre os lucros dos bancos, no entanto, os investidores parecem estar lentamente tendo  a visão de que taxas negativas continuam a ser um dos pilares do BOJ. No início desta semana, o presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, disse a líderes empresariais em Osaka que o banco central estava preparado para usar todas as ferramentas políticas disponíveis para atingir sua meta de inflação de 2%, que incluiu corte da taxa de depósito para território ainda mais negativo.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em alta de 0,12%, com o setor financeiro fortemente ponderada terminando quase plano. O setor de energia, no entanto, caiu 1,24%. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton caiu 0,7%, Rio Tinto recuou 0,2%, mas Fortescue recuperou 0,4%, depois de recentes perdas.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,20%.  Postal Savings Bank, o sexto maior em ativos da China, fez sua estreia comercial e levantou US $ 7,4 bilhões, o que provavelmente vai permanecer como o maior IPO neste ano. Fechou em 4,76 dólares de Hong Kong (61 centavos de dólar) por ação.

As bolsas da China continental fecharam em queda, com o Shanghai Composite encerrando em baixa de 0,34%, enquanto o Shenzhen Composite recuou 0,15%.

No mercado de câmbio, o índice do dólar , que mede o dólar contra uma cesta de moedas, foi negociado a 95,435, abaixo dos níveis acima de 96,00 da semana anterior.

Os preços do petróleo caíram durante o horário dos Estados Unidos na terça-feira, depois que a Arábia Saudita e Irã deixaram pouca esperança de que os produtores cheguem a um acordo para combater o excesso de oferta global durante uma reunião informal, na conferência sobre energia na Argélia.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em alta, seguindo os preços do petróleo mais elevados, com os investidores na esperança de que reunião da OPEP de hoje chegue a algum compromisso. O índice Stoxx Europe 600 salta 1,1% e segue a caminho para um ganho mensal de 0,1%.

Apesar de um acordo para conter a produção de petróleo seja uma grande surpresa, o debate pode abrir o caminho para um possível acordo na sua próxima reunião em novembro,  que poderia decidir sobre um plano mais definitivo para restringir a produção que suprimiu os preços por dois anos.
Os ganhos ajudam empresas de commodities da Europa. A francesa Total sobe 0,32%, BP  sobe  0,88% em Londres e a espanhola Repsol avança 0,69%.

Deutsche Bank sobe 2%,  depois de pesadas perdas por várias sessões, depois que foi condenada a pagar uma indenização milionária requerida pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos e com especulações de que estava buscando ajuda do governo alemão. A alta de hoje é  provocada pela notícia de que o credor alemão tinha vendido sua participação na seguradora britânica Abbey Life e também  por um relatório do jornal alemão Die Zeit, de que o governo alemão estava trabalhando em um plano de resgate, sem a necessidade de aumentar seu capital no mercado. Regulador do mercado alemão BaFin posteriormente negou que estava preparando um resgate.

A recuperação do Deutsche alimenta ganhos em todo o setor. Banco Santander sobe 0,57%, BNP Paribas sobe 0,8% e Commerzbank adiciona 0,96%. Royal Bank of Scotland sobe 0,25% depois que o banco concordou em pagar  $1,1 bilhões para um regulador dos EUA para resolver dois processos judiciais relacionados a títulos lastreados em hipotecas.

No Reino Unido, o FTSE 100 sobe pela primeira vez em quatro sessões, depois de fechar no nível mais baixo desde 16 de setembro na terça-feira. O valor de referência do Reino Unido tem sido negociado à mercê dos mercados do petróleo nos últimos dias, com os investidores acompanhando a evolução da reunião de membros e não-membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo que acontece nesta quarta-feira.

Tem havido muita conversa se os produtores de petróleo iria chegar a um acordo para congelar a produção ou cortá-la de imediato, mas as expectativas para um acordo são baixas antes da reunião. Relatos da mídia dizem que a Opep está pronta para discutir um corte de quase 1 milhão de barris por dia, o que poderia, então, ser acordada na reunião do cartel em novembro.

Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 2,0%, Antofagasta avança 1,1% e Glencore adiciona 0,3%. Entre as gigantes da mineração,  BHP Billiton  sobe1,9% e Rio Tinto sobe 2,6%.

Em entrevista ao Herald Scotland, o presidente do Banco da Inglaterra,  Mark Carney, existem “perspectivas positivas a longo prazo para a economia do Reino Unido”, mas que o crescimento seguinte ao Brexit vai abrandar . A libra recua 0,16% frente ao dólar e é comercializado em torno dos $ 1,2991, abaixo dos US $ 1,3024 na terça-feira em Nova York.

EUA:  Futuros dos EUA sobem em quarta-feira,  creditado em parte ao resultado do primeiro debate presidencial. Os investidores estão à espera de uma série de discursos de autoridades do Federal Reserve, uma leitura sobre as encomendas e mais sinais da  reunião dos  grandes produtores de petróleo. Yellen deve testemunhar sobre regulação e supervisão antes de um painel da Câmara sobre os serviços financeiros.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
9h30 – Durable Goods Orders e Core Durable Goods Orders (números mensais de pedidos de bens duráveis para a indústria nos Estados Unidos, além de destacar o indicador se excluídos as encomendas no setor de transportes);
11h00 – Testemunho da Presidente do FED Janet Yellen no Congresso dos EUA;
11h10 – Discurso do Presidente do FED de St. Louis, James Bullard;
11h30 – Crude Oil Inventories (Relatório de Estoques de Petróleo dos Estados Unidos);

ÍNDICES FUTUROS – 7h20:
Dow:  +0,04%
SP500:  -0,02%
NASDAQ: +0,05%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – QUARTA-FEIRA 28/09/2016