ÁSIA: Os mercados asiáticos fecharam sem direção definida, com o dólar enfraquecido e os preços do petróleo subindo. Alguns mercados tiveram uma ligeira recuperação técnica dada a incerteza política nos EUA, mas segundo analistas, essa recuperação pode não sustentar por muito tempo.

O ASX 200 da Austrália fechou 0,07% menor. A perda só não foi maior devido ganhos no subíndice ouro que avançou 3,44% e o subíndice de energia que subiu 0,72%. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton subiu 0,4% mas Rio Tinto recuou 0,5%.

Na Coreia do Sul, o Kospi subiu 0,25%. A quarta maior economia asiática enfrenta múltiplos desafios domésticos, incluindo uma reestruturação da indústria de transporte, desastres naturais e uma crise presidencial. Depois de uma remodelação do gabinete anunciada na quarta-feira, o novo ministro das Finanças Yim Jong-yong disse que iria manter a política macroeconômica acomodatícia com intuito de estabilizar a economia.

Antes da abertura dos mercados chineses, a pesquisa PMI medida pela Caixin mostrou que a atividade do setor de serviços recuperou fortemente no mês em outubro em 52,4, ante 52,0 em setembro. Uma leitura acima de 50 indica uma expansão da atividade. O Shanghai Composite subiu 0,84% e em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,56%.

Futuros de petróleo subiram no comércio asiático, provavelmente devido a um dólar mais suave, após cair quase 3% no horário americano. Os preços ficaram sob pressão depois que a Energy Information Administration (EIA) dos EUA mostrou que os estoques de petróleo bruto aumentaram 14,4 milhões de barris na semana do dia 28 de outubro, significativamente mais elevado do que os 1 milhão de barris prevista em uma pesquisa da Reuters.

O ouro que muitas vezes é considerado como ativo de refúgio seguro, foi negociado em alta de 0,66% em $ 1,302.21 a onça.

No mercado de câmbio, o índice do dólar registrou sua terceira sessão consecutiva de queda em 97,167 e caiu contra as principais moedas asiáticas. O USD / JPY caiu abaixo de 103. O par de moedas estava se segurando acima de 104 na semana passada. Como os mercados japoneses ficaram fechados por conta de um feriado público, os investidores não foram capazes de responder à alta, seu nível mais forte desde 04 de outubro. O dólar australiano se fortaleceu contra um dólar mais suave, em US $ 0,766, enquanto o won coreano também subiu para 1.138,6 contra o dólar.

EUROPA: Mercados europeus operam sem direção nesta manhã de quinta-feira, com a continuidade das preocupações com a eleição dos Estados Unidos. Os investidores também se concentram suas atenções frente a decisão do Banco da Inglaterra e balanços de empresas. O pan europeu Stoxx 600 opera estável, com diferentes bolsas apontam em sentidos contrários. O setor de recursos básicos tem o pior desempenho caindo mais de 0,5%, enquanto o setor varejista registra o melhor desempenho, com uma alta de 0,7%.

Destaque para a alta de 3% para as ações do banco francês Société Générale que reportou uma alta de 4% em suas receitas durante o terceiro trimestre, devido maior negociação em renda fixa. O banco suíço Credit Suisse registrou lucro líquido de 41 milhões de francos suíços (US $ 42,25 milhões) no terceiro trimestre deste ano. No entanto, as ações caem 4% após advertir um ambiente desafiador à frente.

No Reino Unido, o FTSE 100 avança, tentando encerrar a sequência de três dias consecutivos de queda. Investidores esperam por uma enxurrada de dados do Banco da Inglaterra, conhecido como “Super Thursday” do BOE, incluindo a ata da última reunião, a deliberação da taxa de juros e o relatório trimestral de inflação, seguido de uma conferência a imprensa do governador Mark Carney. A libra sobe 0,2601%  frente ao dólar, sendo negociado a US $ 1,2338, ante US $ 1,2302 da quarta-feira em Nova York. Espera-se que o banco deixe as taxas de juros em uma baixa recorde de 0,25% e sem alterações em seu programa de flexibilização quantitativa.

Também de importância no Reino Unido nesta quinta-feira, um alto tribunal deve decidir se o governo pode invocar o artigo 50, desencadeando o processo Brexit sem a necessidade de votação parlamentar.

Em uma nota mais pessimista, Randgold Resources cai 4,94% apesar de reportar um aumento de 55% no lucro do terceiro trimestre. Analistas do Citi disse que o resultado foi mais fraco do que o esperado. Glencore cai 0,97% depois de divulgar uma queda na produção na maioria dos produtos que comercializa. Entre outras mineradoras listadas na LSE, Anglo American e Antofagasta recuam 1,5% cada, Rio Tinto cai 0,8%.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
9h30 – Challenger Job Cuts (número de demissões corporativas);
10h30 – Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
10h30 – Prelim Nonfarm Productivity (mede a produtividade da mão-de-obra da economia norte-americana, excluída a agropecuária);
10h30 – Prelim Unit Labor Costs (mede a variação no custo total do emprego);
11h45 – Final Services PMI (número final da pesquisa referente ao nível de atividade no setor de serviços nos Estados Unidos);
12h00 – ISM Non-Manufacturing PMI (índice baseado em pesquisas com 400 empresas não industriais, em 60 setores em todo o país);
12h00 – Factory Orders (mede o volume de pedidos feitos à indústria como um todo, de bens duráveis e bens não duráveis);

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:

Dow:  +0,05%
SP500:  -0,05%
NASDAQ:  -0,31%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – QUINTA-FEIRA 03/11/2016