ÁSIA: Os mercados asiáticos registraram mais um dia de volatilidade nesta quinta-feira, com os investidores analisando as observações da presidente do Federal Reserve Janet Yellen e a instabilidade do petróleo.

O índice Hang Seng de Hong Kong, que retomou às negociação depois ficar fechado de segunda até quarta-feira devido comemorações para o feriado do Ano Novo Lunar, caiu 4,25%, para níveis não vistos desde meados de 2012 e na Coreia do Sul, o Kospi reabriu após feriado de três dias e terminou a sessão em baixa de 2,93%, com ações da Samsung Electronics e Posco fechando em baixa de 2,92 e 2,49%, respectivamente. Bancos e corretoras também caíram. Samsung Securities recuou 6,41% e Mirae Asset Securities caiu 5,96%. Por outro lado, as ações de defesa subiram com as tensões seguindo em curso na Península da Coreia. Firstec fechou em alta de 7,45%, enquanto Speco e Victek dispararam 28,26 e 29,93%, respectivamente.

Em sentido contrário e em mais um pregão instável, S & P / ASX 200 subiu 0,95%, para 4,821.10 pontos, após a chairman do Federal Reserve, Janet Yellen, sinalizar que o banco central americano poderia retardar o aperto da política monetária se a turbulência nos mercados financeiros continuarem. Suas declarações trouxeram muita volatilidade aos mercados globais. Na quarta-feira, o índice australinao ficou 20,17% abaixo pico registrado em abril de 2015.

Destaque para a fabricante de dispositivo auditivo Coclear que saltou 14,1%, em US $ 104,05, acima de US $ 100 pela primeira vez após seu lucro líquido disparar 32% para US $ 94 milhões no segundo semestre, ante $ 71,375 milhões um ano antes. Entre as mineradoras, BHP Billiton recuou 2,6% para US $ 15,24 e Rio Tinto perdeu 1,2% para US $ 40,99 após relatar perdas anuais após o fechamento do mercado e descartou a política de dividendos progressivo, citando a piora das condições econômicas globais e queda nos preços das commodities. Rio Tinto informou uma perda líquida de US $ 866 milhões em 2015, ante lucro de US $ 6,53 bilhões no ano anterior.

Os preços do petróleo continuaram voláteis após dados da OPEP apontarem um excesso de oferta de petróleo no mercado mundial este ano, com a Arábia Saudita bombeado mais para compensar a redução de países não pertencentes à OPEP que estão sendo prejudicados devido preços baixos. Na Austrália, Oil Search perdeu 0,61%, Woodside recuperou das perdas iniciais e fechou em alta de 0,76%, enquanto Santos saltou 2,35%. A sul coreana  S-Oil despencou 8,57% e em Hong Kong, CNOOC , PetroChina e Sinopec recuaram entre 5,31 e 6,62%.

As bolsas japonesas deram uma pausa para o sell-off; mercados do Japão permaneceram fechados para o feriado do Dia da Fundação Nacional. O Nikkei caiu seis pregões nos últimos sete dias, com o iene se fortalecendo rapidamente em relação ao dólar. O benchmark caiu 24,70% desde o seu topo em junho de 2015. Mercados da China continental e Taiwan retomarão as negociações na próxima semana.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em forte baixa nesta quinta-feira, devolvendo a alta de ontem, com os investidores digerindo comentários da presidente Janet Yellen do Federal Reserve em seu depoimento semestral ao Congresso. A queda ocorre na sequência da onda de vendas na sessão da tarde nos EUA e depois de outro dia de queda do petróleo pesando sobre o sentimento do investidor, com o preço do West Texas Intermediate crude caindo abaixo de US $ 27 o barril.

Os investidores se dividiram em como interpretar os comentários de que o FOMC não tinha plena convicção sobre a legalidade sobre taxas de juros negativas, em meio a rumores de que o banco central poderia promover tal política, mas admitiu que a fraqueza na economia global e os riscos da China poderia pesar sobre as perspectivas para o crescimento dos EUA, mas a preocupação geral sobre a economia global estava claro, indicando que o FOMC não mudou a sua visão de que o aperto monetário vai continuar, apesar de mais lento. Morgan Stanley disse em nota, que o depoimento de Yellen não era dovish o suficiente para amenizar crescimento e preocupações com a inflação nos mercados globais.

O pan-europeu STOXX 600 caiu 2,6%. Os bancos registraram uma forte recuperação na quarta-feira depois de rumores de que o Banco Central Europeu está considerando comprar ações de bancos como parte de seu programa de flexibilização quantitativa, mas o setor tem um dos piores desempenhos nesta quinta-feira.

Societe Generale despenca mais de 7%, após registrar lucro líquido abaixo das expectativas dos analistas no quarto trimestre e elevou suas provisões para processos judiciais para 400 milhões de euros.  Deutsche Bank é negociado em forte baixa após rali na quarta-feira. Bancos italianos, incluindo o Banco Popolare e Banca Monte dei Paschi di Siena operam em baixa, após rali de ontem e novas preocupações com a saúde do setor bancário do país. O governo italiano aprovou um pacote de medidas na quarta-feira para ajudar os bancos desfazerem sua carteira de crédito ruim.

No Reino Unido, o FTSE 100 cai próximo dos 5.550 pontos e se dirige para o seu menor fechamento em três anos e meio. Rio Tinto cai 6.69% liderando a longa lista de “decliners” em Londres, depois de divulgar perdas em 2015. A mineradora também descartou sua política de dividendos progressiva, citando enfraquecimento da economia global e uma queda acentuada nos preços das commodities. Entre outras mineradoras, Glencore cai 5,80% após relatar produção de zinco e cobre menor no quarto trimestre. BHP Billiton recua 6,21% e Anglo American tomba 5,47%.

Em uma nota mais otimista, produtoras de metais preciosos avançam com a renovação do pânico fazendo com que investidores busquem ativos seguros como o ouro. Fresnillo sobe 3,31%, enquanto a Randgold Resources avança 4,30%.

A produtora de petróleo Royal Dutch Shell cai 3,12%, seguindo a queda nos preços do petróleo e após dizer que cancelou uma linha de crédito ponte de 10,07 bilhões de libras ($ 14.400.000.000) para adquirir a BG Group (-1,75%), uma vez que é capaz de financiar o negócio com seus próprios recursos.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h30 – Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
13h00 – Testemunho da Presidente do FED Janet Yellen no Congresso dos EUA;

ÍNDICES MUNDIAIS – 10h30:

ÁSIA
Nikkei: -2,31%
Austrália: -1,17%
Shanghai: —%
Hong Kong: -3,98%

EUROPA
Frankfurt – Dax: -3,20%
London – FTSE: -2,65%
Paris CAC: -3,75%
IBEX 35: -3,96%
FTSE MIB: -5,02%

COMMODITIES
BRENT: -1,89%
WTI: -2,16%
OURO: +2,06%
COBRE: -1,04%
SOJA: +0,17%
ALGODÃO -0,32%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -1,90%
SP500: -1,90%
NASDAQ: -2,25%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

Por: HARAMOTO