logobmfbovespa_pt_retinaÁSIA: As bolsas asiáticas tiveram um dia morno nesta quinta-feira, após mais um recorde em Wall Street, com investidores avaliando a ata da reunião de novembro do Federal Reserve indicando que as autoridades acredita´m que uma alta da taxa possa ocorrer em breve se os dados continuarem a mostrar uma economia em crescimento. O dólar se fortaleceu frente a maioria das moedas da região após divulgação dos dados econômicos nos EUA melhores do que a expectativa dos analistas, incrementando o movimento de saída de capitais da Ásia emergente, principalmente da Malásia, Indonésia e Filipinas. As encomendas de bens duráveis nos EUA subiu 4,8% em outubro em relação ao mês anterior, bem acima dos 2,7% previsto por economistas. Além disso, o sentimento do consumidor nos Estados Unidos subiu em novembro, sinalizando um aumento da confiança na economia.

As ações japonesas lideraram os ganhos na região, com um iene mais fraco reforçando ações de empresas exportadoras depois do feriado na quarta-feira. O benchmark Nikkei 225 terminou em alta de 0,94%, enquanto o Topix avançou 0,86%. O iene foi negociado a 112,76 em comparação com os níveis próximos de 111.04 na sessão anterior e abaixo dos 110 da semana anterior.

Na Coreia do Sul, o Kospi caiu 0,84%. Investigadores invadiram escritórios da Lotte Group, SK Group e agências do governo na quinta-feira como parte de uma investigação de tráfico de influência em negócios suspeitos de fornecer dinheiro para fundações controladas por Choi Soon-sil que é um amigo próximo da presidente Park Guen-hye e que está no centro de um escândalo no país. As ações da Lotte Shopping caíram 2,20%, Lotte Himart recuaram 1,73% e Lotte Chemical perderam 1,21%. Hynix caiu 0,93%. Na quarta-feira, os investigadores já haviam invadido os escritórios do Grupo Samsung e National Pension Service, maior fundo de pensão da Coreia do Sul, como parte desta investigação.

Na China continental, as negociadas eram para baixo. O Shanghai Composite fechou próximo da estabilidade em 3.241,48 e o Shenzhen Composite recuou 0,38%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,30%. O banco central da China fixou o yuan 0,26% mais fraco em relação ao dólar americano na quinta-feira. O cobre tem sido destaque de alta. O metal industrial saltou 3% para US $ 5.916 a tonelada no início dos negócios na Ásia, impulsionados por dados econômicos positivos nos EUA e expectativas de que o presidente eleito Donald Trump vai gastar pesadamente em infraestrutura. Isso impulsionou ações ligadas ao cobre na China, incluindo Jiangxi Copper (+2,60%) listada em Hong Kong e Yunnan Copper (+4,55%) em Shenzhen.

Na Austrália, o ASX 200 oscilou entre ganhos e perdas durante toda a sessão, mas avançou míseros 0,01 em 5.485,07 pontos, seu sexto ganho em sete sessões. O setor financeiro fortemente ponderado subiu 0,25%, mas os setores de energia e materiais caíram 0,50 e 0,60%, respectivamente. Stocks de ouro caíram depois que o metal amarelo recuou mais de 2% em meio à expectativa de alta da taxa de juros nos EUA e fortalecimento do dólar americano. Newcrest Mining caiu 3,9%, para seu nível mais baixo no período de cinco meses, enquanto evolução Mining caiu 5,1%. BHP Billiton subiu 0,1%, Rio Tinto avançou 0,3% e Fortescue Metals caiu 0,1%.

O dólar subiu contra uma cesta de moedas durante o horário dos EUA na quarta-feira, após a divulgação da ata da reunião de novembro do Federal Reserve, cuja visão de consenso é de que o banco central está pronto para aumentar as taxas em dezembro. O índice do dólar foi negociado a 101,79, acima dos níveis de 101,02 da quarta-feira à tarde na Ásia e em um nível não visto desde 2003. As moedas de mercados emergentes também caíram contra o dólar. A rúpia indiana foi negociado a 68,63 em relação ao dólar, atingindo níveis não vistos desde 2013. O peso filipino também caiu para 49,94, uma baixa de 8 anos.

No mercado de energia, os preços do petróleo pouco mudaram durante o horário da Ásia, depois de subir na sessão de quarta-feira. Traders reagiram pouco aos dados dos estoques da Energy Information Administration dos EUA, que apontaram uma queda de 1,3 milhões de barris nos estoques americanos na semana de 18 de novembro, em comparação com expectativas de mercado para um aumento de 671,000 barris, com investidores incertos se os países da OPEP concordarão com um corte de produção quando se reunirem na próxima semana.

EUROPA: A maioria das principais bolsas europeias operam em ligeira alta na manhã desta quinta-feira com investidores focados em novos dados econômicos da Alemanha e no aumento das expectativas de uma subida das taxas dos EUA no próximo mês. O pan europeu Euro Stoxx 600 sobe junto com a escassez de liquidez nos mercados devido ao feriado de Ação de Graças nos EUA, enquanto na sexta-feira haverá um pregão encurtado nos EUA.

Na Alemanha, o Instituto Ifo divulgou sua análise de expectativa de negócios entre empresas, que ficou em  110,4 em novembro, ante expectativa de 110,5. A empresa alemã Thyssenkrupp relatou um aumento menor do que o esperado no lucro operacional e destacou a possibilidade de mais corte de custos. Suas ações começaram a sessão 1,8% mais baixo. DAX 30 de Frankfurt opera em alta de 0,22% neste momento.

A confiança no setor industrial da França manteve-se inalterado em novembro, ligeiramente acima da média de longo prazo. O indicador mensal de confiança das fábricas foi de 103 em novembro, o mesmo nível de outubro. A média de longo prazo para o indicador é 100. Economistas consultados pelo The Wall Street Journal previam uma leitura de 103 para novembro. CAC 30 sobe 0,27%.

o crescimento econômico da Espanha resfriou como esperado no terceiro trimestre, expandindo 0,7% em relação ao segundo trimestre, refletindo uma ligeira desaceleração no ritmo do consumo e de investimentos. A economia da Espanha havia se expandido 0,8% trimestre a trimestre nos últimos seis períodos, uma das taxas mais robustas na Europa, com fortes gastos dos consumidores e o crescimento das exportações ajudando o país a sair de uma profunda crise econômica. A economia espanhola expandiu 3,2% ano a ano. IBEX 35 sobe 0,35%.

No Reino Unido, o FTSE 100 opera em queda de 0,13%, após abertura superior. Na quarta-feira o índice pouco mudou depois que o governo do Reino Unido lançou os seus planos fiscais e de gastos. Ações de mineração operam de forma misturada com o dólar americano recuando 0,02%  após aproximar da alta de 14 anos. A moeda dos EUA subiu após fortes dados econômicos que alimentaram expectativas de que o Federal Reserve irá elevar as taxas de juros em dezembro. Um dólar mais alto pode prejudicar os preços dos metais nominados em dólar. Antofagasta sobe 2,7% refletindo a alta do cobre, Anglo American sobe 0,1%, Glencore avança 0,8% e Rio Tinto opera em alta de 0,2%. Em sentido contrário, BHP Billiton recua 0,8%.  Randgold Resources cai 0,70% com os preços do ouro recuando abaixo de US $ 1.200 a onça.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA: Feriado bancário e não haverá negociação nas bolsas em comemoração ao Dia de Ação de Graças. Não está prevista a divulgação de indicadores econômicos.

ÍNDICES FUTUROS – 8h30:

Dow: +0,03%
SP500: -0,02%
NASDAQ: -0,04%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – QUINTA-FEIRA 24/11/2016