ÁSIA:  A maioria dos mercados asiáticos fechou em alta nesta quinta-feira, com investidores animados com o rali dos preço do petróleo em meio a relatos de potenciais cortes de produção, mas na Índia, as bolsas caíram após notícias de que o exército indiano realizou ataques contra militantes na região da Caxemira.

O índice Nifty 50 caiu 1,88%, enquanto o Sensex caiu 1,64%. A rupia indiana caiu para 66,3175 em relação ao dólar, comparado com 66,9450 após os relatos dos ataques. A Reuters publicou que a Índia tem realizado “ataques cirúrgicos” contra a militantes no Paquistão, mas que foi negado pelo país vizinho.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em alta de 1,09%, com o setor da energia disparando 6,32% e setor dos materiais ganhando 2,84%. O dólar australiano, que é influenciada por movimentos dos preços do petróleo, se fortaleceu e foi negociado a US $ 0,7650.  Todas as mineradoras avançaram. BHP Billiton subiu 5%, Fortescue subiu 3,7% e Rio Tinto avançou 3,7%.
No Japão, o Nikkei subiu 1,39%, enquanto o Topix subiu 0,94%.  A fraqueza do iene enviou stocks de exportação japoneses para cima. Um iene mais fraco é positivo para os exportadores, a medida que aumenta seus lucro no exterior quando convertidos em moeda local. Antes da abertura dos mercados, dados do governo mostraram que as vendas no varejo do Japão em agosto caíram 2,1% no ano,  mais do que previsão de mercado que previa uma queda de 1,8%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em alta de 0,55% e nos mercados da China continental,  o Shanghai Composite fechou em alta de 0,35% e em Shenzhen, o índice composto 0,38%.  TAIEX de Taiwan fechou em alta de 0,8%, com os investidores voltando às negociações após permanecer fechado por dois dias devido um tufão na região.

Players de energia da Ásia reagiram bruscamente após a notícia do acordo entre os membros da OPEP. Na Austrália, Santos subiu 7,62%,  Oil Search avançou 7,03%, Woodside Petroleum ganhou 7,28% e Beach Energy disparou 10%. A coreana S-Oil subiu 3,87%,  enquanto em Hong Kong, CNOOC  subiu 5,72%, a Petrochina avançou 3,41% e Sinopec fechou em alta de 4,40%. No Japão, Inpex avançou 5,69%, Japan Petroleum subiu 8,84% e Cosmo Energy subiu 3,74%. Fuji Oil , no entanto, contrariou a tendência para terminou em queda de 2,06%.

EUROPA:  As bolsas europeias registram ganhos nesta na quinta-feira, impulsionadas pela decisão surpresa da OPEP de trabalhar a favor de um corte na produção de petróleo, depois de  anos de disputas, mostrando a  incapacidade da OPEP de agir como um coletivo coeso, os membros finalmente concordaram em cortar a produção de petróleo. Os detalhes, no entanto, ainda deve ser finalizados na reunião do cartel em novembro, o que deixa ao mesmo tempo os investidores preocupados pois falar é uma coisa, implementar o acordo é um pouco mais complicado.

Os preços do petróleo recuam nesta quinta-feira de manhã no horário europeu, no entanto a simples perspectiva de um corte de produção está sendo suficiente para impulsionar as empresas relacionadas com o petróleo na Europa. As ações da Saipem saltam 6,5%, Amec avança 5,9% e Technip sobe 7%. Entre os produtores de petróleo, Tullow Oil sobe 7,2%, Total adiciona 4,48% e Royal Dutch Shell adiciona 5,3%.

O índice Stoxx Europe 600 avança 0,66%, apagando sua perda mensal. O valor de referência pan-europeia segue agora a caminho para um ganho de 0,6% em setembro, mês que em que as negociações termina na sexta-feira.

Na Alemanha, as reivindicações desempregados subiu inesperadamente em setembro , mas a taxa de desemprego manteve-se em um recorde de baixa, com a demanda de trabalho mantendo-se elevada. Deutsche Bank segue em foco em meio a especulações de que o banco alemão precisará de um resgate estatal. As ações do banco sobem 2,6% nesta quinta-feira de manhã. Commerzbank cai 1,36% após o credor anunciar planos para um programa de reestruturação. O banco disse que vai cortar 9.600 postos de trabalho, adicionar 2.300 novos postos e suspender dividendos que por hora cobre os custos da reestruturação. DAX 30 opera em alta.

No Reino Unido, o FTSE 100 avança, puxado por ações ligados às commodities e coloca o índice de Londres na trilha para o seu melhor fechamento desde meados de agosto.  BP sobe 4,5% e Tullow Oil avança 7,9%, enquanto entre as mineradoras,  Anglo American sobe 4,33% e Glencore avança 3,6%. As gigantes BHP Billiton e Rio Tinto sobem 4,3 e 2,9%, respectivamente.

Entre as notícias econômicas,  o número de novas hipotecas aprovadas no Reino Unido caiu em agosto para quase dois anos de baixa, um sinal de que o mercado imobiliário esfriou um pouco mais na sequência da decisão do Reino Unido de abandonar a União Europeia. O número de novos empréstimos para habitação aprovados pelos bancos em agosto caiu para 60.058, em linha com as expectativas de analistas consultados pelo Wall Street Journal. Isso é menos do que os 60.925 em julho, e o menor número desde novembro de 2014.
A  confiança empresarial na zona do euro subiu em setembro para seu nível mais alto neste ano, com os fabricantes minimizando preocupações sobre o impacto da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia.

EUA:  Futuros dos EUA lutam para se segurar em território positivo nesta quinta-feira, após euforia inicial com o acordo preliminar sobre a produção de petróleo da OPEP desaparecer e os preços seguirem a deriva para baixo. Longe das commodities, os investidores estão de olho para os números de  reivindicações de desemprego semanal e outros dados, bem como para uma programação cheia de discursos de autoridades do Federal Reserve. O presidente do Fed de Philadelphia, Patrick Harker, falará sobre as perspectivas da política econômica e monetária no evento Global Interdependence Center em Dublin, Irlanda, enquanto o presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart, falará no fórum Future of Florida 2016, em Orlando as 9h50. Jerome Powell vai fazer um discurso na  St. Louis Fed Community Banking Research às 11 horas. Mais tarde, o presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari vai participar do desenvolvimento econômico em Rapid City, Dakota do Sul, por volta das 15h00 e finalmente, a presidente do Fed Janet Yellen vai participar de uma videoconferência promovida pelo Fed de Kansas City às 17h00.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
9h30 – Final GDP (PIB);
9h30 – Final GDP Price Index (Índice de Preços do PIB);
9h30 -Unemployment Claims (número de pedidos de auxílio-desemprego);
9h30 – Goods Trade Balance (diferença entre exportação menos importação de bens);
11h00 – Pending Home Sales de dezembro (mede a venda de casas existentes nos EUA com contrato assinado, mas ainda sem transação efetiva);
17h00 –  Discurso da presidente do Federal Reserve Janet Yellen;

ÍNDICES FUTUROS – 7h20:
Dow:  -0,04%
SP500:  -0,09%
NASDAQ: -0,11%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – QUINTA-FEIRA 29/09/2016