ÁSIA: Os mercados asiáticos avançaram nesta segunda-feira, com os investidores ponderando a possibilidade de um acordo entre o Deutsche Bank e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em alta de 0,78%, impulsionado pelo seu sub índice de energia que subiu 1,33% e pelo seu setor financeiro fortemente ponderado que avançou 1,17%. Amanhã será a primeira reunião sob o comando do novo presidente do Reserve Bank of Australia, mas analistas não esperam nenhuma alteração em sua política monetária e nem nas taxas de juros. Os preços das commodities subiram seguindo a fraqueza inicial do dólar decorrente dúvidas sobre se o Federal Reserve dos EUA seria capaz de aumentar as taxas de juro neste ano. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton subiu 1,7% e Rio Tinto avançou 0,8%, enquanto Fortescue recuou 1,3%.

No Japão, o Nikkei 225 terminou em alta de 0.9%, apesar da pesquisa sobre o sentimento entre as principais indústrias do Banco do Japão manter-se inalterada em relação ao trimestre anterior, mas a pesquisa Tankan do Banco do Japão confirmou que a valorização do iene prejudicou a rentabilidade das empresas. O levantamento, divulgado na segunda-feira, mostrou que as grandes fábricas japonesas esperam que seu lucro ante impostos caiam 14,6% neste exercício até março, em comparação com uma previsão anterior de uma queda de 11,6%. Ações do setor bancário japonês subiram, no entanto, alguns analistas disseram que os problemas do Deutsche Bank não tinham acabado.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng foi negociado em alta de 1,23%, ,enquanto os mercados da China continental permanecem fechados para o Golden Week.

Mercados na Malásia e Coreia do Sul ficaram fechados por conta de feriados nesta segunda-feira, enquanto na Índia, as bolsas avançaram apesar da atividade da fábrica desacelerar em setembro. O Índice PMI de manufatura caiu para 52,1, ante 52,6. O índice Nifty 50 subiu 1,03% e o Sensex subiu 0,95%.

EUROPA: As principais bolsas europeias avançam na manhã desta segunda-feira, com investidores de olho na evolução das negociações do Deutsche Bank e processo do Brexit da Grã-Bretanha. O Stoxx Europe 600 sobe 0,22%, na sequência da alta de 0,1% na sexta-feira.

O Deutsche Bank segue no foco dos investidores apesar das ações da empresa não serem negociadas nesta segunda-feira. Mercados alemães estão fechados por conta de um feriado nacional. As ações listadas do banco alemão subiu 14% na sexta-feira com a notícia de possibilidade de um acordo entre o credor alemão e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, de US $ 14 bilhões para US $ 5,4 bilhões. O Frankfurter Allgemeine Zeitung informou no fim de semana que o CEO da Deutsche, John Cryan, estaria em Washington nesta semana para reuniões anuais do FMI e do Banco Mundial e outros altos executivos do Deutsche Bank iria se juntar a ele para negociar um acordo com as autoridades americanas.

Ainda no setor bancário, os bancos italianos estavam sob pressão nesta segunda-feira. Monte dei Paschi di Siena, Nomura e Deutsche Bank serão julgados por um tribunal de Milão sobre crimes financeiros, de acordo com a Reuters. O novo CEO do BMPS, Marco Morelli, admitiu que será difícil juntar 5 bilhões de euros em uma nova capitalização. As ações da BMPS sobem ligeiramente. UBI Banca operam estáveis depois que o Banco Central Europeu rejeitou um plano proposto pelo banco para comprar três outros bancos italianos.

O Stoxx Europe 600 Oil Index sobe 1,29%, seguindo a alta do petróleo. Entre os produtores de petróleo, a Royal Dutch Shell sobe 2,82%, a francesa Total sobe 1,45% e a empresa de engenharia norueguesa Subsea 7 avança 2,91%.

O setor manufatureiro do Reino Unido continuou a se expandir em setembro, depois de cair acentuadamente no calor do Brexit. Isso provavelmente vai impulsionar o humor entre os dirigentes conservadores que se preparam para traçar a saída do país do bloco de 28 países. A primeira-ministra Theresa May sinalizou que iria iniciar o procedimento de saída formal até ao final do primeiro trimestre de 2017, iniciando um período de negociação de dois anos. Falando na conferência anual do Partido Conservador em Birmingham, May disse que era hora de “começar o trabalho”, prometendo que o governo do Reino Unido não iria questionar ou retroceder com o Brexit. Ela também sinalizou que quer uma ruptura límpida por parte da UE, dizendo que quer que as empresas britânicas tenham “liberdade máxima” para operar no mercado único europeu, mas que o Reino Unido não desistirá de seu direito de controlar a imigração no país.

O índice PMI para o setor manufatureiro subiu para 55,4 em setembro, acima das previsões de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previu um ritmo mais lento de expansão e acima de 53,4 de agosto. As leituras acima de 50 significam crescimento. A libra cai 0,6936% frente ao dólar, para $ 1,2864, ante US $ 1,2976 na sexta-feira em Nova York. Uma libra mais fraca beneficia empresas britânicas, que na maior parte tem suas receitas no exterior. O FTSE 100 avança. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American sobe 3,0%, Antofagasta avança 2,1% e Glencore sobe 1,1%. Entre as gigantes, BHP Billiton sobe 2,1% e Rio Tinto opera em alta de 1,4%.

EUA: Wall Street segue para uma abertura tranquila do quarto trimestre nesta segunda-feira, com futuros de ações subindo ligeiramente. Investidores observam cuidadosamente a crise em torno do Deutsche Bank e digerindo os resultados de Tesla no fim de semana, que estabeleceu novos recordes trimestrais para a produção de veículos no terceiro trimestre. As ações sobem no pré-market.

Dados econômicos devidos mais tarde poderão ser decisivos na direção dos mercados, enquanto os ganhos dos preços do petróleo não estão influenciando muito no sentimento do mercado. A agenda desta segunda-feira segue movimentada. A Markit divulga o seu índice PMI de manufatura para setembro, enquanto o Instituto de Gestão de Fornecimento solta a sua pesquisa para setembro e ainda hoje será divulgado os gastos com construção para agosto.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
10h45 – Final Manufacturing PMI (número final da pesquisa referente ao nível de atividade industrial nos Estados Unidos);
11h00 – ISM Manufacturing PMI (mede o nível de atividade industrial no país);
11h00 – ISM Manufacturing Prices (expectativa dos negócios em relação à inflação futura, onde um número maior indica uma maior expectativa de inflação);
11h00 – Construction Spending (mede os gastos decorrentes da construção de imóveis);

ÍNDICES FUTUROS – 7h10:
Dow: +0,07%
SP500: +0,03%
NASDAQ: +0,04%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

 

Via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – SEGUNDA-FEIRA 03/10/2016