ÁSIA: Os principais mercados asiáticos fecharam em território positivo, estendendo rali de segunda-feira na Europa, com a promessa de mais estímulo por parte do Banco Central Europeu e após os preços do petróleo subirem e as preocupações com a volatilidade nos mercados chineses diminuírem. Mercados americanos ficaram fechados por conta do feriado do Dia do Presidente.

Mercados chineses, em seu segundo dia de negociação após retornar de uma pausa de uma semana do Ano Novo Lunar, levou o Shanghai Composite a fechar em alta de 3,32%, em 2,837.40 pontos e o Shenzhen Composite terminou 4,09% maior. Ações financeiras chinesas subiram depois que o país informou que novos empréstimos atingiram um recorde mensal em janeiro. Instituições financeiras chinesas emitiram 2,5 trilhões de yuans (US $ 385,5 bilhões) em janeiro, significativamente maior do que os 597,8 bilhões de yuans de dezembro e acima dos 1,9 trilhões de yuans previstos pelos 13 economistas do The Wall Street Journal.

Apesar dos números fracos da balança comercial da China em janeiro divulgado na segunda-feira, os comentários do presidente dos Banco Popular da China (PBOC) levaram o yuan para seu nível mais forte em relação ao dólar no ano, enfraqueceu quase 0,3%, para 6.4943 yuan e o Premier Li Keqiang disse na segunda-feira que as políticas reguladoras da China nos mercados de ações e moeda foram corretas e ajudaram a evitar riscos financeiros sistêmicos. Ele se referia a desvalorização surpresa do yuan no verão passado e no início deste ano, espalhando terror por todo o globo.

Nikkei do Japão subiu 0,20% após disparar 7% ontem. Grandes exportadores japoneses, como Toyota, Nissan, Honda e Sony terminaram sem direção, após a paridade dólar-iene que chegou a cair para a marca de 111 ienes na semana passada, fechou estável em 114,52. Um iene mais forte é ruim para os exportadores, diminuindo seus lucros no exterior quando o dinheiro é repatriado.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 oscilou entre ganhos e perdas antes de fechar em alta de 1,37%, em 4910 pontos, impulsionados por um salto dos bancos e mineradoras, em outro dia positivo na China. Stocks de recursos naturais subiram na sequência de ganhos dos preços de metais, incluindo cobre e minério de ferro. Os futuros de minério de ferro na China, negociados na Bolsa de Dalian Commodity Exchange subiram 0,6%, enquanto o índice de referência local, compilado pelo Steel Index, subiu 5,6% em US $ 45,60 a tonelada na segunda-feira. As mineradoras Rio Tinto e BHP Billiton terminaram 2,32 e 3,82%, respectivamente maior, enquanto produtora de minério de ferro Fortescue disparou 9,97%.

Os ministros da Arábia Saudita, Rússia, Catar e Venezuela devem se reunir no Catar nesta tarde para discutir sobre a produção, alimentando especulações de um possível corte ou congelamento de produção. Consequentemente, os futuros do petróleo avançaram. Stocks de energia seguiram em frente em toda a região. Na Austrália, Santos ganhou 5,90%, Oil Search subiu 5,77%, enquanto a japonesa Inpex subiu 2,24% e a coreana S-Oil adicionou 4,31%. Em Hong Kong, CNOOC, PetroChina e Sinopec subiram entre 2,51 e 6,42%, enquanto no continente, China Oilfield terminou em 2,66% maior.

EUROPA: Mercados europeus seguem a alta de seus pares asiáticos, especialmente após comentários de presidentes de bancos centrais globais e a forte recuperação dos preço do petróleo, com os mercados ignorando os números fracos da balança comercial da China.

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, dizer que o BCE está “pronto para fazer a sua parte” para fazer “a área do euro mais resistente”, insinuando por mais flexibilização da política monetária, enquanto o presidente do Banco Popular da China (PBOC), Zhou Xiaochuan, rejeitou as ideias de controles de capital e disse que não vê base para uma contínua desvalorização do yuan.

Além de tudo isso, os preços do petróleo recuperam nos mercados internacionais, com os maiores produtores de petróleo do mundo, incluindo a Arábia Saudita e vários membros importantes da OPEP, se preparando para se reunir em Doha.

Entre os destaques corporativos, a empresa de energia francesa EDF viu lucro líquido mergulhar 68% em 2015 e cortar seu dividendo de 1,25 para 1,10 euros, mas as ações operam em alta. A empresa de telecomunicações Orange viu as receitas cairem 0,1% em 2015 e disse que a compra da rival de telecomunicações da Bouygues levará “pelo menos várias semanas”. Ações de ambas as empresas seguem em território positivo.

Stocks no setor de auto avançam, impulsionado basicamente por duas notícias. Em primeiro lugar, a fabricante de pneus Michelin reportou lucro líquido de 13% maior em 2015 e disse que espera que a demanda por veículos de passageiros, caminhões e caminhões leves continue a subir neste ano e suas ações sobem. Em segundo lugar, as vendas de automóveis europeus subiram 6,3% em janeiro, mas os registros de carros da Volkswagen caiu 4%, na esteira do escândalo de emissões de poluentes de seus carros movidos à diesel, embora o grupo VW como um todo, viu um aumento de 1% nas vendas.As ações da Volkswagen avançam ligeiramente. Enquanto isso, Ford viu seus registros de automóveis novos aumentarem 11,4%, enquanto a Daimler e a BMW também registraram fortes vendas e avançavam.

A mineradora Anglo American reportou uma perda líquida de US $ 5,6 bilhões no exercício findo em 31 de dezembro de 2015, em comparação com um prejuízo líquido de US $ 2,5 bilhões em 2014, devido depreciação dos preços das commodities mais baixos e suspendeu seu dividendo. A receita caiu 26% para US $ 23 bilhões durante o período e está analisando a possibilidade de vender sua mina brasileira de minério de ferro, Minas Rio, em dois ou três anos e espera se beneficiar de uma recuperação nos preços das commodities no início de 2016 e que combinado com operações mais eficiente e menores despesas, entre outras melhorias, resultará em um fluxo de caixa positivo de US $ 400 milhões em 2016. Separadamente, a Moodys Investors Service cortou o rating de crédito da Anglo American em três pontos de grau de investimento para status de lixo. Suas ações viraram para queda após abrir em alta.

Os metais são negociados em alta na abertura do pregão de Londres e ajuda a puxar o setor de recursos básicos como um todo. Rio Tinto e BHP Billiton sobem 1,30 e 1,75%, respectivamente, enquanto Glencore avança 1,36%.

Ainda em Londres, as empresas de energia BP e Royal Dutch Shell avançam 2,04 e 1,91%, respectivamente.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h30 – NY Empire State Manufacturing Index (mede a atividade manufatureira no estado de Nova York);
13h00 – NAHB Housing Market Index (venda de imóveis e a expectativa para novas construções no mercado imobiliário americano);
19h00 – TIC Long-Term Purchases (mede o nível de investimento estrangeiro e nacional nos EUA);

Índices Mundiais – 7h40:

ÁSIA
Nikkei: +0,20%
Austrália: +1,37%
Shanghai: +3,32%
Hong Kong: +1,16%

EUROPA
Frankfurt – Dax: -0,11%
London – FTSE: +0,42%
Paris CAC: +0,43%
IBEX 35: +0,24%
FTSE MIB: -0,72%

COMMODITIES
BRENT: +1,78%
WTI: -0,03%
OURO: -2,59%
COBRE: +2,00%
SOJA: +1,03%
ALGODÃO +0,89%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: +1,41%
SP500: +1,45%
NASDAQ: +1,94%

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

por HARAMOTO