ÁSIA: As bolsas asiáticas ficaram sob pressão nesta sexta-feira, apesar de um final positivo em Wall Street, com a fraqueza recente do dólar trazendo novas preocupações aos mercados. A cesta do dólar perdeu 3,2% de seu valor desde sexta-feira passada e 2,3% em dois dias. O índice do dólar, onde a moeda americana é ponderado contra uma cesta de moedas estava em 96,58. O aumento de 36% do dólar em 12 meses está colocando pressão sobre o crescimento econômico dos EUA, sua competitividade está sendo espremido e o Fed está isolado como o único banco central “normalizando” a sua política monetária.

No Japão, os Nikkei caiu 1,32% e estendeu suas perdas, cravando a quarta queda seguida em cinco dias, por conta de um iene mais forte. O dólar foi negociado a ¥ 116,88; no início desta semana, o par foi negociado acima de 120. As taxas negativas do Banco do Japão pouco fez para diminuir a valorização do iene japonês desde a semana passada, numa tentativa de impulsionar a competitividade das exportações japonesas e estimular os investimentos locais. Exportadores japoneses recuaram, com Toyota, Nissan e Honda registrando perdas entre 2,90 e 3,83%.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 fechou em baixa de 0,08%, com o setor financeiro  perdendo 0,71, enquanto os setores de energia e recursos naturais terminados em território positivo, impulsionado por ganhos em commodities. Rio Tinto e BHP Billiton ganharam 3,20 e 4,85%, respectivamente, impulsionado pela esticada dos preços das commodities esta semana. Pequenas mineradoras como a Atlas Iron e BC Iron tiveram perdas de 7,69 e 1,3%, respectivamente.

Na semana, o benchmark recuou 0,6%, com destaque para as mineradoras que subiram 4,4% neste período, favorecido pela queda do dólar que disparou as cotações das commodities como o minério de ferro. O setor de energia tanbém foi favorecido pelo dólar e terminou com ligeira alta, enquanto todos os outros setores terminaram no vermelho. Entre os destaques, South32, Newcrest e Praia Energy subiram mais de 15% na semana e entre as blues-chips, BHP Billiton subiu 5,5%, enquanto a Rio Tinto ganhou 6,3%.

O feriado de uma semana do Ano Novo Lunar que oficialmente começa no dia 7 na China, agitou os mercados chineses. O Shanghai Composite caiu 0,61% e o Hang Seng Seng de Hong Kong subiu 0,57%.

Os preços do petróleo continuaram voláteis, girando entre quedas e ganhos de 5 a 8% nesta semana. Players de energia avançaram na região. Na Austrália, Santos apagou as perdas iniciais e fechou em alta de 3,18% e Woodside Petroleum terminou 0,41% maior. No Japão, Inpex subiu 0,74% e em Hong Kong, CNOOC subiu 1,82%, enquanto A-Shares da China Oilfield fechou estável.

EUROPA: Mercados europeus também oscilam entre perdas e ganhos na abertura dos negócios desta sexta-feira, com a cautela reinando antes da divulgação dos dados de emprego nos EUA às 11h30. Os números podem influenciar a trajetória da caminhada do Comitê de política monetária do Federal Reserve em relação às taxas de juros.

Entre as notícias corporativas, a siderúrgica ArcelorMittal anunciou que lançará um aumento de capital de US $ 3 bilhões após aumento de seu prejuízo líquido no quarto trimestre ante um ano atrás em meio a queda dos preços do aço e suas ações caem mais de 8%. A notícia também arrasta para baixo as outras stocks de recursos básicos, incluindo Anglo American, que teve um ótimo desempenho na quinta-feira.

Enquanto isso, a fabricante de caminhões sueca Volvo registrou lucro operacional e vendas abaixo das expectativas dos analistas e cortou sua previsão de entregas de caminhões pesados ​​na América do Norte e Brasil, mas mesmo assim suas ações sobem. Ainda no setor automotivo, Daimler disse que as vendas da Mercedes-Benz na China em janeiro subiram 52% no ano e a fabricante de pneus finlandesa Nokian Tyres divulgou lucro melhor que o esperado no quarto trimestre e suas ações operam em território positivo.

No Reino Unido, o FTSE 100 segue o desempenho de seus pares europeus, com mineradoras devolvendo parte dos fortes ganhos no pregão de ontem. O índice segue flertando para um declínio de 3,2% na semana, quebrando uma sequência de duas semanas de alta e configurará a pior semana em cerca de um mês.

As mineradoras vem de uma bela alta nas últimas semanas, na sequência de uma combinação de fatores que envolveu a fraqueza do dólar, cobertura short e corretores sugerindo fundo para alguns metais. Glencore cai 4%, devolvendo parte da alta de 16% da quinta-feira. Standard & Poors, citando desafios do setor, cortou o rating da trading de commodities e também mineradora para BBB- na quarta-feira, o menor nível de grau de investimento. Anglo American cai 2,9%, após subir 20% na sessão anterior, enquanto as gigantes Rio Tinto e BHP Billiton caem 1,53 e 0,86%, respectivamente.

As ações BG Group sobem 0,80% após a citar superação das expectativas das metas de produção para o ano inteiro, mas o lucro caiu 22% no quarto trimestre, devido colapso dos preços do petróleo. BG está sendo adquirida pela Royal Dutch Shell cujas ações sobem 1,67%, enquanto a rival BP avança 0,36%.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h30 – Relatório de Emprego, composto por: Unemployment Rate (taxa de desemprego), Nonfarm Payrolls (pesquisa realizada em cerca de 375 mil empresas, que mostra o número de empregos gerados na economia, excetuando-se agricultura e pecuária), Average Workweek (média de horas trabalhadas por semana) e Hourly Earnings (média de remunerações por hora trabalhada);
11h30 – Trade Balance (balança comercial; mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país);

Observação: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

por HARAMOTO