ÁSIA:  Mercados da Ásia tropeçaram nesta sexta-feira, com o sentimento pesado pela forte queda da libra britânica durante horário asiático, enquanto investidores preferiram aguardar os dados do mercado de trabalho americano de setembro.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em queda de 0,29%, com a maioria dos setores em queda, com exceção dos setores de energia e financeiro. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton avançou 0,8% mas Rio Tinto recuou 0,4%. O dólar australiano foi negociado a US $ 0,7566, caindo próximo de níveis de US $ 0,7660 atingido no início da semana.

No Japão, o Nikkei terminou em queda de 0,23% e do outro lado do Estreito coreano, o Kospi fechou em baixa de 0,56%. O iene japones mais fraco em relação ao dólar, foi buscar 103.88 ienes, em comparação com níveis abaixo de 101.00 yen na semana anterior.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng caiu 0,42%, enquanto os mercados na China permanecem fechados para os feriados do Golden Week. O yuan off-shore, semelhante ao dólar paralelo, que é comercializado livremente, enfraqueceu em relação ao dólar, negociado a 6,7141, em comparação com os níveis próximos a 6,68 na semana anterior. O mercado onshore está fechado para os feriados do Golden Week.

A partir deste mês, a moeda chinesa foi incluído na cesta do Fundo Monetário Internacional (FMI) denominado Special Drawing Right (SDR) e tem um peso de 10,92% na cesta, em comparação com o peso 41,73% do dólar e 8,33% do iene.

EUROPA:  As bolsas europeias recuam, seguindo o sentimento dos mercados asiáticos, com os investidores permaneceram cautelosos antes dos dados laborais dos EUA,  o que dará aos mercados uma indicação mais clara sobre o estado de saúde da economia dos EUA e pistas de quando o Federal Reserve dos EUA iniciará a sua próxima movimentação nas taxas de juros. Alguns analistas estão animados com a perspectiva após as solicitações de seguro desemprego divulgado na quinta-feira mostrar uma queda para o menor patamar desde 1973.

O pan-europeu STOXX 600 cai 0,83%, mas o FTSE 100 destoa de seus pares regionais, ajudado por ações de mineradoras, bem como empresas se beneficiam de uma libra mais fraca.

O FTSE 100 atinge níveis recordes nesta sexta-feira, na sequência da alta de 0,5% na quinta-feira. Com sessão de sexta-feira, o FTSE 100 segue de olho para um ganho de 1,5% nesta semana, depois de flertar com o seu recorde de 7,103.98 atingido no início desta semana com preocupações com o Brexit.

A libra fica no foco dos investidores após a moeda despencar no comércio asiático, atingindo uma nova baixa em três décadas, quando foi conhecido como “flash crash”. A moeda despencou 6%, para US $ 1,1819 e mais tarde recuperou e ficou em  $ 1,24 na Ásia. Durante as negociações no horário europeu, a libra cai 2,18%, sendo negociado em torno de $ 1,2434. Analistas disseram que era difícil identificar a causa para o movimento. Alguns atribuem o movimento a um erro de negociação chamado de “dedo gordo”, enquanto outros apontaram aos comentários do presidente francês, François Hollande na tarde de quinta-feira, que exortou outros líderes europeus a tomar uma posição dura com as negociações sobre o Brexit.

Enquanto os exportadores britânicos se beneficiaram com a queda da libra esterlina, o oposto se aplica a empresas que importam. A EasyJet é um exemplo perfeito de uma empresa do Reino Unido cujas margens estão sendo maciçamente espremido por efeitos cambiais. As ações da companhia aérea caem 4,77%, enquanto os investidores das mineradoras estão sorrindo a toa. Liderando a alta em Londres, a mineradora Anglo American sobe 2,96%, BHP Billiton ganha 2,8% e Rio Tinto adiciona 2%.

EUA:  Os índices futuros de ações dos EUA apontam para uma abertura em baixa nesta sexta-feira, com investidores aguardando o relatório de emprego, que  é um indicador chave sobre as condições do mercado de trabalho, determinante para o Fed decidir a sua  política monetária.

Entre os dados econômicos, o relatório de emprego, composto por: Unemployment Rate(taxa de desemprego), Nonfarm Payrolls (pesquisa realizada em cerca de 375 mil empresas, que mostra o número de empregos gerados na economia, excetuando-se agricultura e pecuária),Average Workweek (média de horas trabalhadas por semana) eHourly Earnings (média de remunerações por hora trabalhada) será divulgado às 9h30, enquanto o  Consumer Credit, que mede o total de crédito ao consumidor sai às 16h00.

A agenda de discursos de autoridades do Fed está cheia. Entre elas, a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, falará logo após a divulgação do relatório de trabalho. O vice presidente do Fed Stanley Fischer falará sobre economia e regulação financeira, enquanto a presidente do Fed de Kansas City, Esther George, falará sobre as perspectivas económicas dos EUA.

ÍNDICES FUTUROS – 9h00:
Dow:  -0,18%
SP500:  -0,23%
NASDAQ:  -0,26%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – SEXTA-FEIRA 07/10/2016