ÁSIA:  A maioria dos mercados na Ásia terminou em alta no último pregão da semana, com os investidores avaliando dados de inflação da China e a possibilidade do Fed dos EUA subir suas taxas de juros no final do ano.

O índice de preços ao consumidor (IPC) na China em setembro subiu 1,9% no ano, enquanto os preços ao produtor subiram 0,1% em termos homólogos, o primeiro aumento desde 2012, vencendo a previsão feita por economistas em uma pesquisa da Reuters. Os mercados da China continental reverteram parte de suas perdas iniciais para fechar de forma mista. O benchmark Shanghai Composite terminou em alta de 0,08%, enquanto o Shenzhen Composite caiu 0,12%.  Os dados mais otimistas ajudaram índice Hang Seng de Hong Kong a reverter quatro sessões seguidas de quedas, fechando com alta de 0,88%.

No Japão, o Nikkei 225 fechou em alta de 0,49%, enquanto o Topix ganhou 0,36%, impulsionado em parte por um iene mais fraco. Ações de exportadores japoneses avançaram. Um iene mais fraco tende a impulsionar exportadores a medida que aumenta o valor de seus ganhos no exterior quando são repatriados.

Na Austrália, o ASX 200 fechou em queda de 0,03%. Entre os setores chaves, o de materiais fechou 0,46% menor, o setor financeiro recuou 0,26% e o sub índice de energia terminou plano. Ações de empresas mineradoras recuaram. Rio Tinto fechou em queda de 1,01%, Fortescue caiu  0,41% e BHP Billiton perdeu 0,92%.

O  índice SET da Tailândia avançou 4,18%, apesar de notícias de que o rei Bhumibol Adulyadej de 88 anos havia morrido. O baht tailandês foi negociado em alta em relação ao dólar em 35,23, comparado com 35,40 do último pregão.

EUROPA:  As bolsas europeias avançam nesta sexta-feira, com destaque para ações de bancos e de mineração que se beneficiam das notícias otimista da inflação da China. O Stoxx Europe 600 sobe 1,55%. A alta apara as perdas semanais, colocando o índice pan-europeu em curso para um deslize de 0,1% para a semana. Na quinta-feira, o índice recuou 0,9%, abalado com os dados comerciais chineses decepcionantes.

Os dados econômicos da China desta sexta-feira foram mais otimistas. O aumento dos preços aos consumidores e aos produtores era algo que o Banco Popular da China estava tentando disparar faz tempo e isso é um sinal positivo para as commodities.

Entre as ações de mineração, Boliden sobe 1,8%, o produtor de cobre Anglo American sobe 2,7% e a produtora de aço ArcelorMittal avança 2.6%. As gigantes.

Rio Tinto, Anglo American e BHP Billiton tiveram seus preço alvo aumentada pela Jefferies. O sentimento positivo para as mineradoras ajudar a empurrar o índice FTSE 100 de volta para cima do nível de 7000 pontos.

Enquanto isso, ações de bancos também sobem. Banca Popolare dell’Emilia Romagna dispara 4,75% após o banco italiano vender uma carteira de 618 milhões de euros de empréstimos ruins e vai realizar uma votação entre os acionistas neste fim de semana sobre uma proposta de fusão com a Banca Popolare di Milano. As ações da Milano sobem 5,4%.

Entre outros destaques, as ações da Man Group disparam 13,25% após a empresa de investimento dizer que planeja recomprar até US $ 100 milhões de suas próprias ações. As montadoras de automóveis também figuram no foco dos investidores após dados da Associação dos Construtores Europeus de Automóveis, mostrar que as vendas de carros novos na União Europeia aumentaram 7,3% em setembro.

EUA:  As bolsas dos EUA tendem a abrir em alta nesta sexta-feira, impulsionado por ganhos melhores do que os esperados do JP Morgan, mas ainda tem potencial para terminar a semana em queda.
Balanço dos três grandes bancos norte americanos são destaque de hoje, bem como a leitura sobre as vendas no varejo americano. Um discurso da chefe do Federal Reserve, Janet Yellen também vai chamar a atenção.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow:  +0,49%
SP500:  +0,45%
NASDAQ:  +0,40%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

via HARAMOTO

RESENHA DA BOLSA – SEXTA-FEIRA 14/10/2016