ÁSIA: As bolsas asiáticas subiram nesta sexta-feira, na sequência dos ganhos nos EUA na quinta-feira, em uma sessão relativamente calma com vários mercados da região fechados, enquanto investidores ficam de olho nas reuniões dos bancos centrais dos EUA e Japão na próxima semana.

Na Austrália, o ASX 200 avançou 1,08%. O setor de energia terminou 1,24% maior, provavelmente impulsionado pelos preços do petróleo, enquanto o setor financeiro fortemente avançou 1,07%. Entre as mineradoras australianas, BHP Billiton subiu 0,3%, Fortescue avançou 0,8% mas Rio Tinto recuou 1,2%.

No Japão, o Nikkei 225 subiu 0,70%, enquanto o Topix subiu 0,8%, com as principais ações do setor bancário subiram mais de 1% cada, após ficarem sob pressão no início desta semana, devido um relatório local que havia sugerido que o Banco do Japão poderia cortar as taxas para território ainda mais negativo. O iene estava sendo negociado a 102,09.

Na Índia, a Nifty 50 subiu 0,99%, enquanto o Sensex ganhou 1,17%.

Mercados na China, Taiwan, Coreia do Sul e Hong Kong foram fechadas por feriados.

EUROPA: As bolsas europeias operam em queda nesta sexta-feira. O Stoxx Europe 600 recua 0,69%, após avançar 0,6% na quinta-feira, a primeira vitória em seis sessões. O índice está a caminho de perder 1,7% na semana.

Destaque para as ações do Deutsche Bank que despenca 7,87% após notícia de que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos pediu na quinta-feira ao credor alemão uma indenização de US $ 14 bilhões para resolver ações cíveis relacionadas a títulos lastreados em hipotecas. Deutsche Bank disse em um comunicado que não pretende pagar essa quantia e que vai tentar um acordo. O número é quase quatro vezes maior que os analistas previam e a notícia atingiu outras ações do setor bancário, que podem enfrentar pedidos similares nos EUA; RBS cai 3,9%, Commerzbank cai 1,2%, Barclays registra queda de 1,9% e UBS cai 2,3%.

A montadora Fiat Chrysler cai 2,2% após notícia de que estava realizando recall de 1,9 milhões de carros em todo o mundo para corrigir um defeito ni airbag.

No Reino Unido, o FTSE 100 cai, com os investidores assustados com a perspectiva de que os bancos necessitarão de realizar pesadas indenizações após a notícia da ação multibilionária contra o Deutsche Bank.  O valor de referência de Londres está no caminho para fechar a semana com queda de 0,9%, depois de uma queda de 1,7% na semana anterior. Setor financeiro lidera a baixa.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 1,1%, Antofagasta recua 1,2% e  Glencore perde 1,3%. Entre as gigantes, BHP Billiton recua 1,9% e Rio Tinto registra baixa de 1,5%.

Em outras notícias, o Banco Central da Rússia reduziu sua taxa básica de juro em 50 pontos base para 10%, dado ao abrandamento da inflação, em linha com a previsão.

EUA: Wall Street enfrenta o pessimismo no último pregão da semana, com os investidores aguardando dados de inflação, visto como um fator determinante nas deliberações das taxas de juro do Federal Reserve. Na quinta-feira, bolsas dos EUA terminaram em alta inspirado no rali do setor de tecnologia, com destaque para as ações da Apple que teve um aumento de 12% na semana e postou a melhor semana em cinco anos, graças à forte demanda mundial pelo seu mais recente modelo.

Não há discursos de autoridades do Fed antes da reunião, pois o banco central está em seu período de silêncio.

AGENDA ECONÔMICA:
EUA:
9h30 – CPI (Consumer Price Index) (índice de preços ao consumidor considerando uma cesta fixa de bens e serviços) e o Core CPI (mede os preços ao consumidor, considerando a mesma cesta com exceção dos custos relativos à alimentação e energia);
11h00 – Prelim UoM Consumer Sentiment (mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana);
11h00: Prelim UoM Inflation Expectations (mede a porcentagem que os consumidores esperam do preço dos bens e serviços nos próximos 12 meses);
17h00 – TIC Long-Term Purchases (mede o nível de investimento estrangeiro e nacional nos EUA);

ÍNDICES FUTUROS – 9h00:

Dow: -0,29%
SP500: -0,30%
NASDAQ: -0,24%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

via Haramoto

RESENHA DA BOLSA – SEXTA-FEIRA 16/09/2016