bmf-resenha
ÁSIA: Os mercados asiáticos se recuperaram na terça-feira diante da diminuição das incertezas em relação ao referendo da Itália, seguindo os ganhos em Wall Street, e com  investidores apreciando a decisão do banco central da Austrália de manter a sua taxa de referência constante.

O Reserve Bank of Australia revisou a sua última política monetária do ano e manteve a sua taxa de juros em 1,5% como esperado. O banco central australiano também disse que uma alta do dólar australiano pode representar riscos para a transição econômica do país. O ASX 200 fechou em alta de 0,52%, impulsionados por ganhos nos preços do petróleo. Entre os estoques de energia, a Oil Search subiu 0,14%. Entre as mineradoras, BHP Billiton subiu 1,7%, Rio Tinto avançou 1,1%, mas Fortescue recuou 0,8%. O dólar australiano caiu para US $ 0,7444 em relação ao dólar.

O Kospi da Coreia do Sul terminou 1,35% maior. O Ministério das Finanças da Coreia do Sul comunicou que vai atribuir 68% do seu orçamento de 2017 para ser gasto na primeira metade do ano para estimular o crescimento. Entre outras notícias, nove dos principais líderes de conglomerado do país enfrentam um interrogatório televisionado no Parlamento. A investigação é se esses líderes empresariais, que incluem a Samsung e Hyundai Motor, foram foram pressionados pela Presidente Park Gen-hye ou pelo seu amigo Choi Soon-sil a dar dinheiro para duas fundações sem fins lucrativos, em troca de tratamento especial, informou a Reuters.

O índice de referencia japonês Nikkei 225 fechou em alta de 0,47%. O iene se fortaleceu contra o dólar, negociado a 114,11, ante nível em torno de 113 da sessão anterior.

Na China, o Shanghai Composite fechou 0,17% maior, enquanto o Shenzhen Composite fechou em alta de 0,16%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,75%.  O Banco Popular da China (PBOC) definiu o ponto médio yuan em 6,8575 contra o dólar na terça-feira, mais forte em relação a 6,887 da segunda-feira.

O índice do dólar, que acompanha o dólar contra uma cesta de moedas, foi negociado a 100,24, abaixo dos níveis de 101 da segunda-feira e os preços do petróleo caíram nesta terça-feira durante o horário do pregão asiático.

EUROPA: As bolsas europeias abriram em ligeira alta, em meio à preocupações com a instabilidade política e com investidores concentrando suas atenções na reunião do Banco Central Europeu.  Os analistas esperam que o presidente do BCE, Mario Draghi anuncie na quinta-feira a extensão do programa de compra de títulos de trilhões de euros do banco pelo menos por mais seis meses.

O pan europe Stoxx 600 iniciou a terça-feira com alta de 0,08%, pesada por stocks relacionados com petróleo e gás caindo. A produção de petróleo atingiu um recorde antes da Opep fechar seu acordo de redução da produção de petróleo, informou a Reuters. Membros da Opep, juntamente com países fora do cartel, incluindo a Rússia, reúnem-se no final desta semana para determinar os detalhes do acordo.

O índice italiano opera estável no início do pregão desta terça-feira, apesar das preocupações políticas e financeiras em curso. O Primeiro-ministro italiano Matteo Renzi concordou postergar a sua demissão até que o orçamento do país 2017 seja aprovado, aliviando os riscos de eleições antecipadas depois da derrota do governo no referendo. As expectativas de que eleições antecipadas seriam evitadas ajudou a controlar o “sell-off” na segunda-feira, no entanto, os riscos para o sistema bancário continua. O Financial Times informou que o italiano Banca Monte dei Paschi di Siena está se preparando para uma ajuda estatal. Está sendo considerado a possibilidade de um investidor importante contribuir com 5 bilhões de euros para sua recapitalização. Suas ações caem 2%.

Enquanto isso, os ministros das finanças europeus estão reunidos em Bruxelas e no Reino Unido, o governo continua com um recurso contra uma decisão do Tribunal Superior da necessidade de aprovação parlamentar antes de acionar o artigo 50 da UE e começar o Brexit com a Europa.
Em Londres, o FTSE 100 opera entre pequenas altas e baixas. Entre as mineradoras, Anglo American cai 2,9%, Antofagasta perde 0,8%, Glencore recua 1,9%. Entre as gigantes, BHP Billiton cai 2,6% e Rio Tinto perde 1,6%.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h30 – Revised Nonfarm Productivity (mede a produtividade da mão-de-obra da economia norte-americana, excluída a agropecuária);
11h30 – Revised Unit Labor Costs (mede o custo em dólar que as empresas pagam aos empregados);
11h30 – Trade Balance (balança comercial; mede a diferença entre os valores das importações e exportações realizadas pelo país);
13h00 – Factory Orders (mede o volume de pedidos feitos à indústria como um todo, de bens duráveis e bens não duráveis);

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: -0,01%
SP500: 0,00%
NASDAQ: +0,04%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

RESENHA DA BOLSA – TERÇA-FEIRA 06/12/2016