ÁSIA: As bolsas da Ásia perderam força nesta terça-feira com os principais índices recuando após melhoria do sentimento do mercado perder força com os preços do petróleo recuando novamente.

Nikkei do Japão que abriu subindo mais de 1%, entregou todos os seus ganhos para fechar 0,37% menor, em 16,052.05 pontos. O iene manteve-se forte em relação ao dólar, em torno de 112,44.

Na Austrália, o S & P / ASX 200 não conseguiu se consolidar acima da marca dos 5.000 pontos e fechou em baixa de 0,43%, em 4,979.58 pontos, pesada por perdas no setor financeiro e de commodities. BHP Billiton registrou perda líquida de US $ 5,7 bilhões e cortou seu dividendo em 75% para apenas US ¢ 16 por ação, incluindo também baixas contábeis após o desastre em mina de sua joint-venture brasileira Samarco em novembro, enquanto a Cia aérea, Qantas informou um lucro ante impostos de US $ 921 milhões, acima dos US $ 375 milhões no mesmo período do ano passado, ajudada por uma economia de combustível de $ 448 milhões.

BHP subiu 2,6% com ação de caçadores de barganhas. As ações da BHP perderam cerca de 42% nos últimos 12 meses em meio a um recuo nos preços das commodities. A mineradora rival Rio Tinto avançou 1,4% e as ações da Qantas caíram 5%.

Mercados chineses também perderam terreno após o HSBC reduzir suas previsões para os mercados de ações chinesas e de Hong Kong, citando projeções  menores e expectativas de mais volatilidade nos mercados. Ela espera que o índice Shanghai Composite suba para 3200 pontos, abaixo dos 3.900 previsto anteriormente e espera que o índice Hang Seng terminar o ano em 21.000 pontos, ante previsão de 24.500.

O principal índice Shanghai Composite caiu 0,79%, em 2,903.95 pontos nesta terça-feira, enquanto o Shenzhen Composite caiu 0,58% e em Hong Kong, o Hang Seng caiu 0,25%.

O Índice de Preços no Consumidor de Hong Kong em janeiro subiu 2,7% ante o ano anterior, maior que a alta de 2,5% de dezembro e consenso dos analistas, em parte devido à alta dos preços de vegetais frescos e a taxa de desemprego em Hong Kong manteve-se inalterada em 3,3% no trimestre encerrado em janeiro e ficou em linha com a previsão de 3,3% dos três economistas consultados pelo The Wall Street Journal.

No comércio asiático, os futuros do petróleo caíram, após subir no pregão americano, parcialmente explicado pelas recentes conversas sobre o congelamento da produção, mas analistas acreditam também em um “short Squeeze”. O secretário-geral da OPEP, Abdalla Salem El-Badri, disse na segunda-feira, que tanto da OPEP e quanto países fora do cartel estão dispostos a cooperar para encontrar uma solução para os baixos preços do petróleo. Nas últimas semanas, grandes produtores de petróleo, incluindo a Arábia Saudita e Rússia, reuniram-se em Doha e disseram que estão prontos para congelar a produção em níveis de janeiro, se outros fizerem o mesmo. O Irã, que retornou ao mercado internacional de petróleo após fim das sanções lideradas pelos Estados Unidos sobre o estado persa, saudou o acordo, chegando a dizer que ela própria congelaria a produção em níveis de janeiro, mas depois, o vice-ministro do petróleo do Irã anunciou que o país vai aumentar a produção em breve.

Stocks de energia em toda a Ásia entregaram seus ganhos iniciais e fecharam sem direção. Na Austrália, Santos caiu 1,18%, Woodside Petroleum recuou 0,11%, a japonesa Fuji Oil caiu 1,54% e Inpex avançou 0,9%. No continente chinês, a maioria caiu, China Oilfield recuou 1,2%.

As ações da Noble Group subiram 1,35% em Singapura, mesmo depois o trader de commodities dizer que vai registrar uma perda de US $ 1,2 bilhões no quarto trimestre, refletindo queda nos preços de carvão.

EUROPA: A maioria das principais bolsas europeias seguem o tom negativo definido na Ásia depois que a recuperação global desapareceu durante a noite, pesada pela queda nos preços do petróleo com preocupações de que o aumento da produção iraniana aumentará o excesso de oferta global.

O Stoxx Europe 600 cai 0,06% após saltar 1,7% na segunda-feira, o maior fechamento desde 02 de fevereiro, impulsionado por rali nas ações de commodities com os preços de petróleo e metais avançando.

O alemão DAX cai após o PIB da Alemanha crescer 0,3%, a mesma taxa do terceiro trimestre, resultando em um crescimento anual de 1,1%, com a demanda doméstica sólida sendo golpeada por exportações fracas. A mais recente pesquisa do sentimento do empresariado alemão do Instituto Ifo caiu para 105,7 em fevereiro, ante 107,3 em janeiro.

Na França, o CAC 40 recua. No topo do índice, Danone avança 2,27%, após a companhia de laticínios francês relatar um aumento nas vendas no quarto trimestre.

No Reino Unido, o FTSE 100 cai. BHP Billiton recua 3,60%, após a maior mineradora do mundo em valor de mercado  registrar um prejuízo no primeiro semestre de $ 5,67 bilhões, em parte devido a redução de valor de ativos de energia dos EUA e cortar seu dividendo em 74% a 16 centavos por ação, devendo proteger seu balanço por um período “prolongado” dos baixos preços das commodities. Entre outras mineradoras, Rio Tinto cai 1,97%, Anglo American cai 2,41% e Glencore perde 2,03%. No setor de energia, as ações da produtora de petróleo BP cai 1,42% e Royal Dutch Shell recua 0,59%.

AGENDA DO INVESTIDOR:
EUA:
11h00 – S&P/CS Composite-20 HPI (examina as mudanças no valor (preço de venda) do mercado imobiliário em 20 regiões nos EUA no ano anterior. Este relatório ajuda a analisar a força do mercado imobiliário dos EUA, o que contribui para a análise da economia como um todo);
12h00 – CB Consumer Confidence (mede o nível de confiança dos consumidores na atividade econômica. É um indicador importante, pois pode prever os gastos do consumidor, que é uma parte importante da atividade econômica);
12h00 – Existing Home Sales (mede as vendas de casas usadas no país);
12h00 – Richmond Manufacturing Index (consiste numa pesquisa com cerca de 100 fabricantes, determinando a saúde econômica do setor manufatureiro no distrito de Richmond. Qualquer leitura acima de 0 indica melhoria das condições do setor, enquanto uma leitura abaixo de 0 indica agravamento das condições);

ÍNDICES MUNDIAIS – 7h10:

ÁSIA
Nikkei: -0,37%
Austrália: -0,43%
Shanghai: -0,79%
Hong Kong: -0,25%

EUROPA
Frankfurt – Dax: -0,94%
London – FTSE: -0,72%
Paris CAC: -0,42%
IBEX 35: -0,09%
FTSE MIB: -0,25%

COMMODITIES
BRENT: -1,95%
WTI: -1,95%
OURO: +0,69%
COBRE: -0,71%
SOJA: -0,42%
ALGODÃO +0,10%

ÍNDICES FUTUROS
Dow: -0,36%
SP500: -0,35%
NASDAQ: -0,53%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário e gratuito, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário da disponibilização dos dados.

Via HARAMOTO